Cidadeverde.com
Entretenimento

Jô Soares diz que falava esporadicamente com Bira e que o músico tinha 'uma intensa alegria'

Imprimir

Foto: Reprodução/TheNoite

Jô Soares lamentou a morte do amigo e baixista do Programa do Jô, Ubirajara Penacho dos Reis, o Bira, que morreu neste domingo (22), aos 85 anos, em São Paulo. O apresentou afirmou que hoje em dia falava esporadicamente com o músico por telefone, mas que sabia, por meio de seus funcionários, que o amigo "já não vinha bem". 

"Ele era uma resistência, mesmo já debilitado. Tinha uma intensa alegria e a transmitia com aquela gargalhada marcante", disse o apresentador em entrevista ao jornal O Globo. "Ele era muito bem informado, lia demais, participava ativamente de todas as entrevistas. Quando fazíamos shows fora do programa com o Sexteto, era sempre o mais tietado. Vai fazer muita falta", completou.

O músico estava internado desde a última sexta (20) no hospital Sancta Maggiore, na Mooca, em São Paulo, por causa de um AVC (Acidente Vascular Cerebral).  A morte do músico baiano, nascido em Salvador, foi confirmada pela Globo.

Bira ficou conhecido por integrar o sexteto musical do Programa do Jô, que teve seu último programa exibido na Globo em 16 de dezembro de 2016. Mestre do baixo elétrico, era dono de uma risada inconfundível que cativava o público pela forma bem-humorada com que interagia com o apresentador e seus convidados. 

A parceria de mais de duas décadas com Jô Soares extrapolou emissoras e, entre 1992 e 2016, Bira passou pelo SBT e pela TV Globo, apresentando-se diariamente no talk show do apresentador.  O baixista era autodidata e foi da amizade com músicos na Universidade Federal da Bahia que despontou sua afinidade com o instrumento. Passou a integrar o coral universitário e nunca mais deixou a carreira.

Nas redes sociais, o cantor Nando Reis lamentou a morte do músico. "Sua alegria contagiante era fundamental para quebrar o nervosismo que sempre toma conta de mim quando tenho que fazer televisão", escreveu.

O velório de Bira aconteceu neste domingo (22) no Funeral Morumbi, em São Paulo. Depois, o corpo foi encaminhado para o cemitério da Vila Alpina, onde foi cremado.

 

Fonte: Folha Press

Imprimir