Cidadeverde.com
Viver Bem

Doenças cardíacas também afetam adolescentes

Imprimir

Foto: Pixabay

Já passou o tempo em que a adolescência representava a fase de desenvolvimento do corpo para a vida adulta. Hoje é para um percentual desse público o momento em que surgem os primeiros sinais de problemas cardiovasculares.

Só para ter uma ideia da gravidade do problema, Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica) identificou, em 2016, hipertensão, obesidade e problemas de colesterol em estudantes do País com idade entre 12 e 17 anos.

Aliás, a obesidade entre os adolescentes brasileiros vem aumentando, refletindo uma elevada ingestão de bebidas açucaradas e de alimentos processados.

Atenção

Assim como a obesidade, a hipertensão arterial é uma doença de difícil tratamento na vida adulta. O problema tem impacto significante não só na expectativa de vida, mas principalmente na qualidade. Por isso, a prevenção é necessária também na adolescência, fase em que muitos não se preocupam com o assunto qualidade de vida.

Diagnóstico

Os exames de colesterol devem ser requisitados pelo pediatra a partir dos dez anos. Aliás, pais com histórico de doenças cardiovasculares devem comunicar isso ao médico. Dessa forma, o profissional pode requisitar avaliações já a partir dos dois anos.

Quando detectado o problema na infância, a criança deve ter auxílio de profissionais de saúde para manter uma dieta específica. Além disso, é necessário não deixar de lado a prática de atividade física.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir