Cidadeverde.com
Política

Robert Rios garante filiação ao PSB e questiona apoio de Sílvio Mendes a Firmino Filho

Imprimir

Foto: RobertaAline/CidadeVerde.com

O ex-deputado estadual, Robert Rios Magalhães (sem partido), garantiu nesta segunda-feira (13) que cumprirá o acordo de se filiar ao PSB e ser candidato a vice na chapa encabeçada pelo ex-deputado Dr. Pessoa (MDB).

Em entrevista ao CidadeVerde.com, Robert Rios afirma que não passam de rumores as informações de que ele teria desistido de seguir para o partido do ex-governador Wilson Martins (PSB). 

Nesta segunda-feira (13), ele participa de almoço político com lideranças do MDB e PSB. No evento deve reforçar o apoio ao projeto político das duas siglas. 

“Fazemos parte do projeto que tem o Dr. Pessoa como candidato a prefeito pelo MDB e Robert Rios candidato a vice pelo PSB. Estarei no almoço que é a inauguração do futuro escritório de campanha. Tanto eu quanto Wilson Martins estaremos lá com o deputado Themístocles Filho (MDB). Minha filiação ao PSB está tranquila e certa. Até março deverei me filiar.  Eu sou muito ligado ao Dr. Wilson Martins. Conversamos muito e vamos montar uma base muito forte em Teresina. Também queremos eleger bastante prefeitos no interior do Estado.  Eu sou muito tranquilo. Não tenho avidez nenhuma de correr. A filiação está segura. Temos no PSB o Wilson Martins e um partido bastante forte. Vamos somar com o PSB e MDB em uma campanha muito bonita”, afirma.

Sobre as queixas de Dr. Pessoa de que esperava mais apoio, Robert afirma ser ansiedade natural do período de pré-campanha. O ex-deputado compara a política ao carnaval e pede paciência a Dr. Pessoa. 

“Esse é o nervosismo da pré-campanha. Dr. Pessoa é um nome muito forte e se encontra muito bem nas pesquisas. Toda pesquisa encontra-se muito próximo de 50% das intenções de voto. A campanha é muito bonita, mas não pode ser intensa como quer Dr. Pessoa. O período eleitoral não permite ainda. A campanha é como o carnaval. Vamos ter os bailes pré-carnavalescos e no final, quando chegar o carnaval,  a música é total. Dr. Pessoa tem que está só um pouco mais calmo, mais sereno e mais tranquilo. Ele encontra-se muito forte na campanha”, afirma.

Apesar de confirmar o apoio a Dr. Pessoa, a possibilidade de Robert seguir para a base aliada do prefeito Firmino Filho (PSDB) é sempre lembrada pelo  tucano. O prefeito já chegou a declarar que busca o diálogo com Robert e Wilson Martins para uma possível aliança. 

“Descarto completamente. O prefeito Firmino é um grande prefeito. Gosto dele. Foi quatro vezes prefeito com o meu apoio. Mas agora não pode ser. O último desastre que tivemos na política interna foi o Dom Pedro II, que foi imperador 49 anos. O Firmino não pode querer a mesma coisa. Foi um bom prefeito. O povo de Teresina deu a ele quatro mandatos. Agora é hora de se acalmar e deixar as águas percorrerem naturalmente as planícies. Ele pode ter candidato, mas não vai ter meu apoio. Até hoje ele não disse quem é o seu candidato. Essa história de dizer que apoia o candidato do prefeito sem saber quem é, é coisa de cretino. Eu não sou cretino. Não vou apoiar uma pessoa que eu nem sei quem é. Ele não sabe quem é o candidato. Como ele pode pedir apoio para um candidato que ele mesmo nãos abe quem é”, afirma. 

Para o ex-deputado, o prefeito encontra dificuldades para lançar um candidato a sucessor. “Estratégia ou não todos os nomes ventilados e apontados pelo prefeito não estão bem colcoados. Dr. Pessoa se encontra muito bem, Fábio Abreu também e muito atrás mesmo o candidato do Firmino. Acho que ele não vai reverter esse quadro”, destaca.

Robert também questiona a possível candidatura do ex-prefeito Sílvio Mendes. Para ele, Sílvio pode até ser candidato, mas seria em um palanque oposto ao do prefeito Firmino. 

“Sílvio Mendes é um homem de bem. Sempre será um bom nome, mas não acredito que ele será candidato. Se for não será do prefeito. Não sei se na oposição, mas do prefeito ele não vai ser porque perdeu a ligação com o prefeito. Não faz parte do partido do prefeito. Migrou do PSDB para o PP, depois saiu do PP. Acho muito difícil ele ser candidato, mas ainda que seja candidato, em nenhuma pesquisa ele supera 7%”, afirma. 

 

Lídia Brito
[email protected]

Imprimir