Cidadeverde.com
Geral

‘Falta de resposta da União’ impede aproveitamento de prédio no Centro, diz PMT

Imprimir

A revitalização do antigo edifício-sede do INSS, na Praça João Luís Ferreira no Centro de Teresina, continua embargada por falta de diálogo entre as esferas administrativas. A promessa de transformar a estrutura em um condomínio de apartamentos não avança porque, segundo a prefeitura, falta resposta por parte da União que é proprietária do imóvel.

“Infelizmente hoje ainda não temos nenhuma resposta da União a respeito dessa possibilidade de um projeto de requalificação como um prédio para moradia.  A última comunicação com a União foi em 2018, e acredito que por conta dessa mudança de gestão federal não tivemos nenhuma resposta”, disse o superintendente executivo da SDU Centro Norte, Márcio Sampaio

Abandonado, edifício histórico continua sendo mal aproveitado e usado como reduto de uso de drogas.

O prédio foi construído há aproximadamente 70 anos. O último órgão público que funcionou lá foi o SUS (Sistema Único de Saúde), até 2006, quando o edifício foi completamente abandonado e, depois, interditado pelo Corpo de Bombeiros.

O projeto da prefeitura é utilizar a estrutura como parte do programa de revitalização do centro como bairro habitacional, oferecendo financiamentos de apartamentos via Minha Casa Minha Vida.

“Primeiro ele passa por um problema de propriedade, ele é um prédio da União, ele não é um patrimônio municipal. Qualquer intervenção que o próprio Município venha a fazer tem que ser com autorização ou anuência da própria União”, reafirmou o superintendente

O local chegou a ser anunciado como a futura sede do Centro Cultural Banco do Nordeste. Tapumes chegaram a ser fixados mas as obras foram suspensas após problema com a construtora o final de 2012.

Demolição

Segundo a superintendência da PMT, a demanda é para uma reforma estrutural no prédio. Uma possível demolição não está nos planos dos técnicos que estudam a edificação. Ainda segundo a prefeitura, a União tomou providências para isolar o acesso, que foi arrombado por usuários de drogas.

Valmir Macêdo (Com informações do Jornal do Piauí)
[email protected]

Imprimir