Cidadeverde.com
Política

Fábio Abreu diz que criar secretaria de segurança em Teresina é oportunismo

Imprimir

O agora pré-candidato a prefeito de Teresina, deputado federal Fábio Abreu, chamou de oportunismo a criação de uma Secretaria de Segurança na capital. Segundo ele, trabalhar com segurança vai muito além de criar um órgão especializado. Em novembro do ano passado, o prefeito Firmino Filho anunciou um estudo de viabilidade. A proposta do órgão seria para atender o crescimento da Guarda Municipal.

“Não se resume só a criação de uma guarda municipal ou de uma secretaria, já que esse problema perdura há muito tempo. Por que só agora ele foi ventilado e vai ser criado? Parece muito com uma situação de oportunismo. Quanto tempo se debate o problema da segurança pública no nosso município? Por que só agora muito próximo de eleição vai se criar uma secretaria?” questionou Fábio Abreu em entrevista à TV Cidade Verde.

O atual secretário de segurança voltou a dizer que o problema é de todos e assim deve ser tratado. “Eu entendo o fato de uma pessoa criticar e não poder colaborar, mas aquele que critica e tem a obrigação de colaborar esse é que é o grande problema. O problema da segurança é um problema do país. Todos os estados têm esse problema e aqui nós enfrentamos. Abdiquei da função de deputado para isso”, declarou.

Fábio Abreu mandou um recado para a base aliada de Firmino e ressaltou que o uso da segurança pública para atingi-lo na campanha eleitoral será um erro.

“Se usarem é o maior erro. Eu tenho como colaborar com a segurança na função de prefeito. O trabalho de uma prefeitura para a segurança pública ele é além. A partir do momento que eu ilumino uma rua, um bairro, eu estou colaborando diretamente com a segurança pública. O gestor municipal precisa ter essa visão. A prefeitura tem o papel fundamental de colaborar com a segurança”, destacou.

Foto: Yasmim Cunha

Sobre as críticas tucanas de que sua candidatura seria mais uma do Palácio de Karnak, Abreu chamou os opositores de deselegantes.

“Meu objetivo é continuar minha história com Teresina. Temos a nossa independência. A nossa candidatura é do PL. De uma certa forma é uma deselegância alguém afirmar que todos os candidatos de oposição são laranjas. Os demais candidatos não podem e não devem ser taxados dessa forma”, finalizou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir