Cidadeverde.com
Geral

Acidente com VLT na avenida Higino Cunha envolve pelo menos três carros

Imprimir
  • vlt6.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas
  • vlt5.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas
  • vlt4.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas
  • vlt3.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas
  • vlt2.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas
  • vlt1.jpg Graciane Sousa e enviadas por internautas

Ampliada às 15h39.

O VLT de Teresina colidiu com uma picape na tarde desta sexta-feira (24) no cruzamento dos trilhos com a Avenida Higino Cunha, próximo à ponte Wall Ferraz, na zona Sul de Teresina. O acidente envolveu ainda outro carro de passeio que foi atingindo na traseira e um táxi. No início desta semana, um internauta flagrou o momento em que o metrô passava a poucos metros dos carros, que pararam com o sinal sonoro do transporte. O sinal estava aberto.

A consultora empresarial Tânia Soares estava no carro que foi atingido na traseira. Com o impacto, o veículo dela ainda atingiu um táxi que estava logo a frente.

"Eu passei e a picape ficou com a traseira na linha férrea e o trem já vinha buzinando. O trem bateu na traseira dele, e ele bateu no meu carro e eu bati na traseira de um taxista. Só que o taxista saiu, pois estava com uma cliente, e o da picape teve que tirar o veículo pois o maquinista informou que o trem de carga estava vindo", relatou ao Cidadeverde.com.

O diretor da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP), Paulo Martins, informou ao Cidadeverde.com que uma equipe técnica está no local apurando as causas do acidente. Segundo ele, as informações iniciais apontam que a picape invadiu os trilhos durante a passagem do VLT que colidiu na lateral traseira do veículo.

“A prioridade é do trem VLTR, ele reduz e buzina 15 segundos antes de passar pela avenida. Provavelmente houve imprudência da picape que se adiantou e invadiu. Estamos apurando, felizmente não teve nenhuma vítima”, informou o diretor. Após a apuração, um inquérito judicial pode ser aberto.

A CMTP adiantou que a colisão não vai afetar o funcionamento do VLT. “Nós temos três VLTs, esse que se envolveu no acidente vai para a oficina do Estado e vamos por outro em operação. Todos os dias fazemos revisões. O VLT de hoje não é o mesmo que circula no dia seguinte”, explicou Martins. 

Sobre a sinalização do cruzamento, a CMTP afirmou que a competência de funcionamento das cancelas e semáforos é do poder público municipal.

Viadutos

Ainda de acordo com a CMTP, há um projeto de construção de dois viadutos nos cruzamentos dos trilhos com a avenida Higino Cunha e a rua Rui Barbosa, na zona Norte. Outros três VLTs deverão ser adquiridos.

“Os recursos estão garantidos para a Setrans (Secretaria Estadual de Transportes). São R$ 221 milhões para duplicarmos a linha do metrô em Teresina, que em parte é compartilhada com a Transnordestina, construirmos esses dois viadutos e melhorarmos as estações de passageiros”, assegurou Paulo Martins.

Foto: Yasmim Cunha

Veja nota da CMTP sobre o acidente

A Companhia Metropolitana de Transporte Público do Piauí, comunica que um pequeno acidente ocorrido no início da tarde desta sexta-feira (24/01), próximo a Ponte Wall Ferraz, ocasionado após um veículo invadir o cruzamento causou  um pequeno transtorno aos usuários do metrô de Teresina. Ninguém ficou ferido. 

A CMTP comunica que os motoristas dos VLTs seguem a orientação de sempre ativar os sinais sonoros próximos aos cruzamentos e que, o VLT envolvido no acidente já foi substituído, garantindo segurança e comodidades aos passageiros.

A CMTP comunica ainda que uma equipe da STRANS esteve no local para reorganizar o trânsito e reitera o compromisso em zelar pelo transporte sobre trilhos na capital.

 Em nota, a Strans disse que o trecho próximo aos trilhos é de responsabilidade do governo

"A Strans informa que no eixo de 15 metros das duas laterais dos trilhos, a competência da sinalização é da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP). A Superintendência está colaborando com o Governo do Estado com a instalação de uma cancela eletrônica, que ainda entrará em funcionamento em fase de teste, na Avenida Higino Cunha. O objetivo é minimizar os acidentes e transtornos observados no local. A superintendência ainda reforça que vem fazendo a sua parte com as sinalizações horizontais e verticais em todas as passagens de nível existentes em Teresina".

Valmir Macêdo e Yasmim Cunha
[email protected]

Imprimir