Cidadeverde.com
Cidades

Criada comissão para monitoramento de barragens no Piauí

Imprimir

O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi), nomeou, por meio de portaria, uma comissão para proceder inspeções expedidas nas barragens construídas pelo órgão. O objetivo é conhecer o status atual das mesmas e a elaboração de um relatório preliminar que aponte as ações necessárias para, por meio de manutenções corretivas e/ou preventivas, reparar possíveis danos e, consequentemente, garantir a funcionalidade técnica e operacional das barragens.

A iniciativa partiu do diretor-geral do órgão, Leonardo Sobral, motivado pela necessidade de criar uma sistemática contínua de controle e acompanhamento geral das barragens assim como viabilizar, junto ao governador, a disponibilidade de recursos que venham garantir a continuidade de um plano de ação com inspeções periódicas e manutenções preventivas e corretivas nas mesmas.

“Estamos com uma equipe técnica formada por engenheiros barragistas, engenheiros civis, geólogos e engenheiros agrimensores para monitoramento permanente dos grandes reservatórios no estado, principalmente durante o período chuvoso”, destacou Leonardo Sobral,  ressaltando que o relatório da comissão apontará se há ou não a necessidade de reparos e, caso haja, quais ações que deverão ser tomadas pelo órgão”, informou o diretor.

Leonardo Sobral esclarece que não há nenhum perigo iminente e que as manutenções são preventivas e corretivas, sem nenhum grau de risco alto, conforme avaliações já realizadas pela equipe técnica. Informou ainda que seguirá todas as orientações da Agência Nacional de Águas (ANA).

O engenheiro Gregório Paranaguá, presidente da comissão, destaca que existem, atualmente no estado, 15 barragens construídas pelo Idepi. Desse total, já foi realizada inspeção em duas delas: Salinas, em São Francisco do Piauí, e Mesa de Pedra, em Valença.

Gregório Paranaguá afirma também que estão em execução inspeção em mais quatro barragens: Bezerro, em José de Freitas; Emparedado e Corredores, em Campo Maior; e Piracuruca, no município que leva o mesmo nome. Nessa última, explica, a inspeção contará com a participação de um representante da ANA.

Para a semana de 3 a 7 de fevereiro, está programada a inspeção na barragem de Algodões II, no município de Curimatá, sul do estado.

A comissão tem um prazo de até 180 dias (seis meses) para apresentação do relatório, no entanto, explica Gregório Paranaguá, a equipe está trabalhando para concluir as visitas técnicas de inspeção e emissão de relatório aos diretores em um tempo menor.

 

Da Redação
[email protected]

 

Imprimir