Cidadeverde.com
Geral

Motoristas convocam assembleia para discutirem reajuste e possível greve

Imprimir

Fotos: Roberta Aline

Atualizada às 17h45

A Superintendência Regional do Trabalho no Piauí mediou nesta quarta-feira (5) uma reunião entre motoristas e empresários de ônibus para evitar uma possível greve para  a próxima semana.

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro) apresentou duas propostas: um com reajuste salarial de 4,48%, além de mudança da data base para maio, pagamento do INPC (Índice de Preço ao Consumidor) de janeiro a abril e manutenção da convenção coletiva anterior.

A outra proposta é de um reajuste linear de 5,5% e manutenção da convenção coletiva anterior.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Fernando Feijão, informou ao Cidadeverde.com que já houveram várias reuniões até chegar a essas propostas.

O Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) concorda com reajuste salarial de 4,48%, no entanto rejeita o pagamento do INPC.

Atualmente o salário do motorista é R$ 1.951,94 e com a proposta do Sindicato vai para R$ 2.080. São cerca de 1.600 motoristas e cobradores em Teresina. 

Assembleia nesta quinta (6)

O Sindicato está convocando uma assembleia geral para amanhã (6), às 9h, e às 16h30, na sede do Sindicato, Centro de Teresina.

Até às 18h de hoje, o Setut ficou de encaminhar uma contraproposta para ser avaliada pela categoria. 

"Caso o Setut não aceite, estaremos convocando uma greve para a próxima semana. Não podemos retroceder, mas estamos aberto para o diálogo", disse Fernando Feijão.


?Sem acordo
 

O presidente do sindicato dos motoristas, Fernando Feijão, informou ao Cidadeverde.com que não houve muitos avanços na reunião no TRT, realizada hoje com o Setut. 

Ele relatou que os empresários ficaram de apresentar uma contraproposta na manhã de quinta (06).

"Os empresários ficaram de avaliar as propostas e nos repassar um resultado até amanhã antes da assembleia da categoria, que acontecerá em dois turnos: manhã e tarde". 
 

 

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir