Cidadeverde.com
Últimas

Negociação entre Setut e motoristas avança, mas nova assembleia é marcada

Imprimir

Foto: Roberta Aline

Atualização às 11h35

A decisão sobre a greve de ônibus em Teresina deve ser anunciada na tarde desta quinta-feira (06). O presidente do Sintetro, Fernando Feijão, disse que o Setut aceitou em apenas em partes a reivindicação da categoria. 

"O Setut aceitou em partes a proposta que foi construída na DRT que seria o reajuste de 4,48%, mudar a data base para o mês de maio e repassar o INPC, inflação do período de janeiro a abril no salário vigente", explica Feijão. 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, ele explica que os empresários não acataram a convenção coletiva e à tarde, o setor jurídico do Sintetro e do Setut, tentarão um acordo para que não haja prejuízo à categoria.

"Eles não aceitaram discutir isso agora, só em maio. Não podemos ficar até lá sem uma convenção coletiva porque podem tomar qualquer decisão no transporte que não seja benéfica ao trabalhador. Por isso, ficou de ambas as partes sentarem com os advogados e construírem uma ata, assinada por ambos, que garantiria a manutenção dos direitos até 30 de abril. Em maio, as partes sentariam novamente e discutiriam apenas as partes sociais. As partes econômicas de tickets e salários já estariam definidas", reitera o presidente do Sintetro. 

Após a reunião com os setores jurídicos, motoristas e cobradores se reúnem em assembleia geral.

"A gente deu prazo limite até segunda-feira. Se até lá não houver decisão favorável, vamos publicar o edital de greve", finaliza Fernando Feijão. 

Com o reajuste, o salário do motorista sairia de R$ 1.954,94  para R$ 2.039 até abril e de lá seria reajustado, de acordo com o INPC. Já o salário do cobrador sairia de R$ 1.195,42 para R$ 1.248,97, também reajustado a partir de maio de acordo com a inflação. A carga horária da categoria é de 7 horas e 20 minutos por dia.

Foto: Roberta Aline

Matéria original

Empresários do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) estão reunidos na manhã desta quinta-feira (6) com representante do  Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro) para tentarem chegar a um acordo sobre reajuste salarial.

Ontem ocorreu uma reunião na Superintendência Regional do Trabalho, mas ficou pontos divergentes. Os empresários e os motoristas concordam em rejuste salarial de 4,48%, porém itens como pagamento do INPC (Índice de Preço ao Consumidor) de janeiro a abril e manutenção da convenção coletiva anterior estão em negociação.

O Setut ficou de enviar uma contraproposta até às 18h de ontem, mas hoje chamou o Sindicato para uma reunião. 

Os motoristas apresentaram duas propostas: um com reajuste salarial de 4,48%, além de mudança da data base para maio, pagamento do INPC e manutenção da convenção coletiva anterior.

A outra proposta é de um reajuste linear de 5,5% e manutenção da convenção coletiva anterior.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Fernando Feijão, convocou uma reunião para às 9h de hoje e às 16h30 para discutir a proposta do Setut.  

Feijão afirma que é precipitado falar em paralisação, mas destacou que a categoria está disposta a realizar greve por tempo indeterminado se as cláusulas trabalhistas não forem atendidas. 

 

Flash Graciane Sousa e Yala Sena
[email protected]

Imprimir