Cidadeverde.com
Geral

Ministério da Saúde atualiza boletim e País tem 9 casos suspeitos de coronavírus

Imprimir

Foto: FuturaPress / FolhaPress

O Brasil tem nove casos suspeitos de coronavírus. O Ministério da Saúde atualizou nesta quinta-feira, 6, o boletim divulgado mais cedo, que apontava para oito suspeitas. Com isso, o número caiu de 11 para nove entre quarta-feira, 5, e esta quinta-feira. O boletim foi divulgado pelo Ministério da Saúde em reunião com secretários estaduais e municipais de Saúde. Os casos suspeitos estão em São Paulo (3), Rio Grande do Sul (3), Rio de Janeiro (1), Santa Catarina (1) e, nesse boletim mais atual, Minas Gerais (1).

Orientação da Vigilância Sanitário

A Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado (DIVISA) realizou uma reunião com os responsáveis de diversos órgãos e serviços (Conselho Estadual de Saúde, LACEN, SEDUC, SEMEC, Nova CEASA, escolas, farmácias, terminal rodoviário, profissionais da construção civil, restaurantes, supermercados, hotelaria, sindicato dos comerciários, sindicato dos bancários, sindicato dos lojistas, entre outros setores) com o objetivo de orientar sobre as medidas de prevenção e controle para evitar a propagação do Coronavírus.

A reunião acontecerá no auditório da DIVISA, a partir das 10 horas e será realizada em parceria com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), por meio da Gerência de Vigilância Sanitária de Teresina (GEVISA).

Durante o encontro, a médica infectologista, Dra. Rosania Oliveira vai fazer o detalhamento das informações sobre a situação atual do Coronavírus e demais orientações pertinentes à situação de emergência internacional. A DIVISA vai disponibilizar ainda, o material informativo sobre a higienização das mãos como medida primordial em todas as situações, bem como outras medidas.

O Brasil não tem casos confirmados da doença até o momento, mas as ações estão sendo realizadas como medidas preventivas. “Nós precisamos estar orientando estes serviços, pois existe um fluxo grande de circulação de pessoas nesses locais, e por isso, eles precisam ter conhecimentos das medidas preventivas para que possam estar repassando essas orientações para os seus profissionais e usuários”, explicou a diretora da DIVISA, Tatiana Chaves.  


Fonte: Estadão Conteúdo e Secretaria de Saúde 
[email protected]

Imprimir