Cidadeverde.com
Geral

Construtora volta a trabalhar na Ponte Wall Ferraz nesta quinta (13)

Imprimir

Foto: Ascom/SDU Sul

 

A construtora contratada pela Prefeitura de Teresina para realizar a obra da Via Marginal Poti Sul, ligando a Avenida Marechal Castelo Branco a vários bairros da zona Sul da cidade, volta a trabalhar na parte de cima da Ponte Wall Ferraz nesta quinta-feira, dia 13. Por conta disso, será necessário implantar um novo desvio no trânsito do local.

Segundo o superintendente de Desenvolvimento Urbano  Sul, Paulo Lopes, será novamente apenas um desvio, sem a necessidade de interdição. “Em nenhum momento vamos precisar interditar o trânsito na ponte. Vamos apenas precisar isolar uma faixa no lado da parte mais nova da ponte e mais duas faixas na parte mais antiga. Ou seja, no sentido da zona Sul para as zonas Sudeste e Leste ficará uma faixa livre, a da lateral direita. E no sentido contrário, de quem vem para a Sul, estarão duas faixas livres”, explica.

O desvio não será feito na extensão completa da ponte, ficará apenas em um trecho. Paulo Lopes ressalta ainda que basta que todos tenham apenas um pouco de cautela para que trânsito flua normalmente.

A previsão é que o desvio permaneça por mais uma semana, até a próximo sexta, dia 21. “Mesmo que ocorram alguns imprevistos, já que estamos no período de chuvas, na sexta-feira o desvio será retirado e o trânsito estará liberado no local durante o carnaval”, inform.

Essa obra serve para a implantação de um reforço na base da parte antiga da Ponte Wall Ferraz e com isso poder realizar as intervenções necessárias para a construção da Via Marginal Poti Sul na sua ligação do primeiro com o segundo trecho na passagem por debaixo da ponte.

A Prefeitura está realizando um investimento na Via Sul de R$ 30 milhões no trecho entre a ligação com a Avenida Marechal Castelo e a Ponte Anselmo Dias. De lá até a Avenida Manoel Ayres Neto serão mais R$ 35 milhões, totalizando R$ 65 milhões. A avenida contará com três pistas de rolamento de cada lado, um canteiro central de seis metros de largura, calçada do lado da floresta fóssil, também de seis metros, e outra de três metros do lado das residências, toda iluminada e com ciclovia.

Da Redação
[email protected] 

Imprimir