Cidadeverde.com
Política

Governador visita obra da nova maternidade e defende integração da Saúde

Imprimir
  • obra_maternidade.jpg Yasmim Cunha
  • governador_(24).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(23).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(22).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(21).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(18).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(17).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(16).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(15).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(14).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(13).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(12).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(11).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(9).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(8).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(7).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(5).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(4).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(3).jpg Yasmim Cunha
  • governador_(2).jpg Yasmim Cunha

 

O governador Wellington Dias (PT) visitou a obra de construção da nova maternidade na zona Leste da capital. Acompanhado do secretário de Saúde, Antônio Neto, Wellington afirma que a obra cumpre o cronograma estabelecido. 

Serão investidos R$ 142 milhões na obra e a previsão de entrega é para julho do próximo ano. A nova maternidade substituirá a  estrutura da maternidade Dona Evangelina Rosa. 

“Saio feliz porque a obra cumpre regulamente o cronograma traçado. Vamos ter uma parte de estrutura já pronta agora no final do ano e vamos finalizar com equipamentos, com toda a mobília, toda a estruturação e quadro de pessoa para inaugurar e funcionar em julho de 2021. Vamos seguir fazendo uma estruturação. A parte física já estará pronta, mas precisará completar a parte interna que são quatro andares. Vamos ter uma nova maternidade que vai ser um centro para cuidar da mulher. Salvar a vida, com conforto, atendimento e profissionais com equipamentos modernos, substituindo a antiga maternidade Dona Evangelina Rosa”, disse.

Wellington Dias  afirma que ao final da construção da maternidade, o governo estruturará um hospital para atender a pacientes idosos. Ele defende a integração da saúde do Estado. 

“É um investimento que no total vai chegar a 142 milhões. Sou grato a essa integração com o Governo Federal, com a Bancada Federal e agora junto com o andamento da obra já determinei à Secretaria de Saúde para trabalhar um projeto que possa retirar a parte montada da maternidade, quando se mudar e da estrutura permanente já existente, trabalhar um complemento para um moderno hospital de geriatria. Para cuidar da saúde dos idosos. O Getúlio Vargas como um hospital geral, o Hospital Infantil onde vamos seguir fazendo investimentos, a nova maternidade e um hospital para a saúde do idoso. Essa é uma forma moderna de estruturar o estado. Com uma cabeça de rede na capital integrada com as regiões do Piauí. ”, afirmou.

Lídia Brito
[email protected]

Imprimir