Cidadeverde.com
Geral

Rodoviários suspendem paralisação e pedem ‘botão do pânico’ em ônibus

Imprimir

Após a onda de assaltos a ônibus coletivos em Teresina, motoristas e cobradores ameaçaram realizar uma paralisação nesta sexta-feira (28).  O movimento foi suspenso hoje após uma reunião com o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) e Secretaria de Segurança Pública. Os órgãos trataram de medidas para coibir a prática de crimes no transporte público.

A categoria solicitou junto ao Setut a instalação de um “botão do pânico”. Nele, o motorista ou o cobrador poderia acionar a viatura mais próxima em casos de assalto. Desde o início do ano, Teresina já registrou 36 assaltos a ônibus.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

“Trabalhar nesse link direto da Polícia Militar das viaturas com os ônibus. Tudo georreferenciado fica muito mais fácil de nós acompanharmos esses ônibus, casos sejam acionados em uma situação de emergência”, informou o secretário Fábio Abreu que garantiu uma segurança mais ostensiva da PM para os ônibus.

Segundo o secretário, o Setut tem até a próxima quinta-feira, dia 5 de março, para dar uma resposta sobre a viabilidade financeira de instalação dos dispositivos de emergência, que já funcionam em táxis da capital.

Diante do aumento no número de assaltos, a categoria de motoristas e cobradores ameaçava bloquear temporariamente a saída dos ônibus nesta sexta. O presidente do Sintero, Fernando Feijão, garantiu que o movimento foi descartado após a promessa de um sistema integrado que possa melhorar a segurança dos usuários e dos trabalhadores de ônibus. 

“Foi suspensa a paralisação de amanhã porque a gente chegou a um consenso, um acordo. O Setut terá um prazo de sete dias, no máximo, para avaliar a questão ou não do botão do pânico”, assegurou Feijão.

Ônibus com PMs

Policiais militares que trabalharam na segurança do carnaval na cidade de Parnaíba reclamaram das condições de um ônibus que transportava os policiais e apresentou um  problema mecânico durante a viagem.

Sobre o assunto, Fábio Abreu garantiu a renovação da frota e o aluguel de veículos como alternativas já trabalhadas pelo governo para os períodos de maior demanda no reforço policial, como Carnaval e Eleições.

“Substituir toda a frota de transporte de tropa. Em situações como operação carnaval, operação eleição, estamos finalizando a licitação para fazer locação de ônibus. Nós não temos suporte suficiente para, por exemplo, chegar aos 224 municípios, com transporte de tropa em período de eleição”, disse.

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir