Cidadeverde.com
Geral

Júri do caso Salve Rainha será nesta quarta; sobrevivente faz desabafo e defende condenação

Imprimir

Foto: Reprodução

O julgamento de Moaci Moura da Silva Júnior, acusado de causar a colisão de trânsito que matou os irmãos  Júnior Araújo e Bruno Queiróz e deixou o jornalista Jader Damasceno gravemente ferido, está previsto para ser realizado nesta quarta-feira (4). 

Jader fez um desabafo nas redes sociais e convocou amigos para assistirem ao julgamento, que acontecerá na 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri, em Teresina. Entre as sequelas causadas pela colisão, o jornalista sofre com paralisia facial, redução da perna direita e perda da visão de um olho.

Em vídeo, Jader diz que precisa da força dos amigos "para superar mais essa barra". "Eu queria muito fazer esse convite para quem diz que me apóia, quem disse que está comigo. É um momento muito difícil e eu queria que todo mundo comparecesse. É importante para mim porque tem me custado muito caro, me tirado muitas noites de sono e também me tirado muitas lágrimas", conta. 

O jornalista espera que Moaci seja condenado e fique preso. "A gente precisa entender que a gente não pode abrir precedentes. A gente precisa criar uma lei de trânsito mais segura, mais responsável", defende.

 Atualmente Moaci Moura aguarda o julgamento em liberdade. Ele é monitorado por tornozeleira eletrônica e cumpre medidas cautelares. O advogado do acusado, Eduardo Faustino, disse ao Cidadeverde.com que acredita que o julgamento será tranquilo e defendeu que nenhum parte sente ódio pela outra.

"A expectativa é de um júri tranquilo, independentemente do resultado que a sociedade decidir sobre o caso. Não há disputa entre partes. Há uma discussão de uma tese jurídica. Creio que nenhuma das partes nutre ódio pela outra. Ao contrário. Ambas sofrem os efeitos de um acontecimento ruim", disse Faustino.

Relembre o caso

A colisão que vitimou Júnior Araújo e seu irmão Bruno Queiroz Rainha aconteceu no dia 26 de junho de 2016, quando os dois e Jader Damasceno deixavam o Parque da Cidadania, no Centro de Teresina. O Fusca em que os três estavam foi atingido violentamente pelo Corolla dirigido por Moaci na Avenida Miguel Rosa, na zona Norte. Na época as investigações apontaram que o  motorista do Corola, Moaci, invadiu o sinal vermelho a aproximadamente 100 Km/h.  

Fotos: Reprodução

O caso causou comoção na cidade. Junior Araújo era produtor cultural e idealizador do coletivo Salve Rainha, que realizou intervenções e eventos culturais em Teresina. Laudo pericial logo após acidente confirmou que Moaci estava sob efeito de bebida alcoólica.


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir