Cidadeverde.com
Política

Wellington diz que Governo apóia declarações de Rios

Imprimir
O governador Wellington Dias (PT), continua negando que tenha pedido desculpas ao Ministro Gilmar Mendes sobre as críticas do secretário de Segurança Robert Rios ao mutirão da Justiça.
 

Segundo Wellington Dias, ele conversou com o ministro por telefone, mas falou apenas da preocupação em dar celeridade aos julgamentos para que eles não se acumulem tanto causando medidas necessárias como os mutirões.

“Não teve necessidade de pedir desculpas. A posição do Estado é de compreender que regras têm de ser cumpridas, mas por outro lado é preciso perceber que são 3 milhões de pessoas a quem o executivo tem obrigação de proteger. Eu disse para Gilmar Mendes que tínhamos uma posição unificada. O que o secretário Robert colocou é um fato. Eu não ia mentir um fato. O ministro pediu que mantivéssemos o trabalho em conjunto. Não há rompimento, vamos continuar trabalhando em parceria”, declarou Wellington Dias, destacando “quem fala em nome do governo do Estado é o governador”.


As declarações do governador foram feitas nesta quinta-feira ao desembarcar em Teresina, vindo de Brasília onde participou de reunião com os governadores do Nordeste e o presidente Lula.

REUNIÃO COM GOVERNADORES
Sobre a reunião de governadores, Wellington Dias disse que foram mais de 10 horas de encontro e que houve uma pactuação para reduzir os indicadores sociais.

O governador citou como exemplo, o investimento de R$ 6 milhões do Estado com mais R$ 9 milhões da União para os cartórios de registro civil. Segundo Wellington Dias, foi firmado um acordo para que as crianças ao saírem das maternidades, já saiam com a certidão de nascimento ou pelo menos um encaminhamento.

O governador revelou que um quarto dos municípios piauienses não possui sede de cartório e serão discutidas medidas para instalação de cartórios ou então que funcionários cheguem a estes municípios.

EDUCAÇÃO
Quanto à educação, Wellington Dias falou sobre a ampliação da bolsa para aos professores com o intuito de reduzir o analfabetismo. O aumento da bolsa passará de R$ 250 para R$ 500.

“O presidente Lula fez um apelo aos governadores que para enfrentar a crise sejam feitos cortes em custeio e não investimentos em obras. Por outro lado, os recursos para obras em andamentos no Piauí, estão garantidos e no quesito questão tributária, foi recomendado cuidado na liberação de incentivos fiscais para não abalar as finanças dos municípios e Estados”, explicou o governador.

 

Flash de Záira Amorim
Redação de Conceição Santos
[email protected]


Tags:
Imprimir