Cidadeverde.com
Viver Bem

Além do coronavírus, influenza também ameaça rotina escolar

Imprimir

A alteração das atividades pedagógicas em escolas particulares de São Paulo, que já vinha ocorrendo mesmo antes da determinação do governo do Estado, não tem sido apenas para evitar a transmissão de coronavírus, mas também o contágio por outros vírus como o da influenza. Comuns nesse período do ano, os casos desse tipo de doença entre os alunos fizeram com que ao menos uma escola suspendesse as aulas e outra registrasse faltas por receio dos pais.

No colégio A. Einstein, em Interlagos, na zona sul da capital paulista, as aulas de todas as turmas foram suspensas ontem e anteontem depois que casos de H1N1 (influenza) foram confirmados em quase 30 alunos. Um comunicado enviado aos pais informou que a suspensão foi recomendada pela Vigilância Sanitária do Município.

"Diante dos novos casos confirmados de alunos com o vírus influenza A e, seguindo a orientação da Vigilância Sanitária e Clínica Santa Isabella, cancelaremos as aulas e atividades dos dias 12 e 13 de março. Essa é uma medida que tem o objetivo de proteger a comunidade escolar", diz o comunicado. A Secretaria Municipal de Saúde e a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), no entanto, disseram não haver orientação para o fechamento de nenhuma instituição de ensino para os casos de influenza.

Na zona sul, a Escola Pinheiro também teve o registro de influenza entre os estudantes, mas não decidiu pela suspensão das aulas. No entanto, muitos pais optaram por não mandar os filhos para a unidade ontem. Uma funcionária, que pediu para não ser identificada, disse que quase um terço dos alunos faltou. O Estado de S. Paulo tentou contato com a direção dos colégios, mas ninguém foi localizado para comentar a situação e as medidas adotadas.

Outras escolas da zona sul, como o colégio Santa Maria, também registraram casos da doença. Na unidade, no fim da semana passada, três crianças da educação infantil foram diagnosticadas com influenza, mas as atividades foram mantidas. A única recomendação dada pelo colégio é para que os alunos doentes não frequentem as aulas.

Casos

A Secretaria Municipal de Saúde informou que não há orientação para o fechamento de instituições para outras doenças. A recomendação feita no início da noite de ontem para a suspensão das aulas ocorre por causa da transmissão do coronavírus. A pasta informou ainda que a campanha da vacinação contra o surto de influenza está prevista para começar em 23 de março, seguindo orientação do Ministério da Saúde.

O município registrou nesse ano 146 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, sendo que dez deles foram confirmados para o vírus influenza A H1N1, 4 confirmados para influenza A não subtipado e 9 casos foram confirmados para influenza B. 

 

Fonte; Estadão Conteúdo

Imprimir