Cidadeverde.com
Entretenimento

Tantinho da Mangueira, compositor da escola de samba, morre aos 72 anos

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/@tantinhodamangueiraoficial

Cantor e compositor do Carnaval carioca, Devani Ferreira, o Tantinho da Mangueira, morreu na noite deste domingo (12), após cair em casa e ser levado ao hospital.

Um dos principais nomes da escola de samba do Rio de Janeiro, ele tinha 72 anos e fazia parte da ala dos compositores da Mangueira desde os 13 anos de idade. Com essa idade, foi apresentado por Dona Neuma, ícone da escola, ao cantor e compositor Cartola, com quem fez um samba-enredo para desfile da Mangueira.

Filho de integrantes da Mangueira, Tantinho já desfilava desde os cinco anos, geralmente embaixo das saias de baiana da mãe. O músico nasceu e cresceu no Morro de Mangueira, onde conviveu, além de Dona Neuma e Cartola, com nomes como Nelson Cavaquinho, Nelson Sargento e Carlos Cachaça.

Fora da avenida, ele fez parte das históricas rodas de samba do Teatro Opinião, na década de 1970 e do grupo Originais do Samba, tocou tamborim em gravações de Zé Kétti e Jamelão e fez parte de shows e discos de diversos artistas e gravações de discos. Junto aXangô da Mangueira, Tantinho é compositor de "Vem Rompendo o Dia", por exemplo, regravada por Marisa Montem em 1994.

"É com imensa tristeza que informamos o falecimento de nosso baluarte e grande compositor Tantinho da Mangueira. Uma perda enorme para a Estação Primeira e para o samba", lamentou, em nota, a direção da escola.

Nos vídeos diários que transmite nas redes sociais, a sambista Teresa Cristina fez uma homenagem ao compositor. Outros sambistas e carnavalescos também usaram as redes sociais para lamentar a morte.

"Meu coração está de luto pela perda de um amigo e ídolo", escreveu Mário Lago Filho.

"A cultura popular perde um grande artista e uma grande pessoa", disse o vereador carioca Tarcísio Motta (PSOL).

 

Fonte: Folha Press

Imprimir