Cidadeverde.com
Geral

PF: quadrilha teria desviado R$ 500 mil de recursos públicos

Imprimir

Os cinco suspeitos presos nesta terça-feira (12) em operação da Polícia Federal, que investiga o desvio de mais de R$ 500 mil de verbas federais destinadas à prefeitura de União, podem responder por penas que somam até 60 anos de prisão. O secretário municipal de Educação, Marcone Martins, e um vereador foram presos na operação. 

O delegado da Polícia Federal, Allan Reis, um dos coordenadores da operação batizada de Delivery explicou por quais crimes os cinco suspeitos foram autuados. O nome da operação é justificado pelo transporte de R$ 379 mil em espécie, no dia 1º de maio de 2020 em veículo alugado pela prefeitura de União, em posse de dois funcionários municipais que não esclareceram a origem dos valores à polícia no momento do flagrante. 

“Os crimes são de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, desvio de recurso público, lavagem de dinheiro e crimes contra a ordem tributária, cujas penas somadas podem chegar a 60 anos de reclusão”, explicou o delegado da PF, Allan Reis. 

A Controladoria Geral da União identificou que pelo menos dois contratos da prefeitura de União com uma empresa de Fortaleza. Os recursos eram do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). 

“Foram identificados dois contratos firmados com a empresa Rosalda Maria Costa Oliveira nos valores de R$ 541 mil reais e aproximadamente R$ 586 mil reais foi identificado um superfaturamento em torno de 205 mil reais relativo a um desses contratos”, contou o  superintendente da CGU no Piauí, Glauco Soares.

Como não foi identificado nenhum indício de que algum livro tenha sido entregue, o levantamento aponta que o desvio tenha sido superior a R$ 500 mil.

Na ação desta terça-feira(12), 45 policiais federais e auditores da CGU deram cumrpimento aos dez mandados de busca e apreensão nas cidades de Teresina, União e Fortaleza, além de cinco mandados de prisão preventiva, todos expedidos pela 1ª Vara da Justiça Federal em Teresina.

Foto: Polícia Federal

Secretário de educação foi exonerado

A Prefeitura de União comunicou na manhã desta terça-feira (12) que exonerou o secretário Municipal de Educação, Marcone Martins. Além do secretário, foi preso em União o motorista de Marcone e um vereador. 

O prefeito Paulo Henrique afastou também o motorista do secretário de Educação, que é suspeito de participar do esquema fraudulento. Ele estaria transportando os R$ 370 mil que foi apreendido pela Polícia mês passado. A Prefeitura abriu processo administrativo.  

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir