Cidadeverde.com
Política

Políticos lamentam morte de piloto e destacam habilidade e profissionalismo

Imprimir

Iracema Portela, Ciro Nogueira e Fábio Novo são alguns dos políticos que lamentaram a morte do piloto Paulo César Magalhães nas redes sociais. O "comandante PC", como era conhecido, morreu em acidente aéreo no município de São Benedito, no Ceará.  O avião transportava um paciente com Covid-19 de Sobral  para Teresina. 

Com mais de 40 anos de experiência, Paulo César era um dos mais renomados pilotos do Piauí e fez voos com muitas autoridades políticas em sua carreira. O secretario estadual de Cultura, deputado Fábio Novo, lembrou, em postagem feita no Instagram, um acidente que sofreu com ele no ano de 2008, na cidade de Colônia do Gurgueia, no Sul do Piauí. Novo destacou a habilidade do comandante PC e acredita que o piloto tenha feito de tudo para evitar a queda do avião no Ceará.

"Conheci o Comandante PC adolescente na casa no meu padrinho na Acésio do Rego Monteiro na Ininga. Nem me passava pela cabeça que um dia voaria com ele. Anos depois nos reencontramos para fazermos muitos vôos. Em alguns deles fui de copiloto. Ele até me deu algumas aulas! Em outubro de 2008 caímos juntos, após uma decolagem em Colônia do Gurguéia! Renascemos juntos, graças à sua calma e larga experiência. Ele feriu levemente o nariz! E eu o braço esquerdo! Lembro bem daquela tarde de domingo! Passei cerca de 3 anos sem voar. Venci o trauma com o Comandante Paulo César. No primeiro vôo rimos juntos e até questionei se tinha 7 vidas. Ele respondeu: você tem 9 e eu 9! Então dá 18! Fabão: ainda vamos voar muito! E voamos! E comemoramos juntos muitas conquistas! Sei que você tentou evitar o pior! Sou testemunha! Sou prova viva! Que Deus te receba com os demais e conforte os familiares", postou Fábio Novo.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Conheci o Comandante PC adolescente na casa no meu padrinho na Acésio do Rego Monteiro na Ininga. Nem me passava pela cebeça que um dia voaria com ele. Anos depois nos reencontramos para fazermos muitos vôos. Em alguns deles fui de copiloto. Ele até me deu algumas aulas! Em outubro de 2008 caímos juntos, após uma decolagem em Colônia do Gurguéia! Renascemos juntos, graças à sua calma e larga experiência. Ele feriu levemente o nariz! E eu o braço esquerdo! Lembro bem daquela tarde de domingo! Passei cerca de 3 anos sem voar. Venci o trauma com o Comandante Paulo César. No primeiro vôo rimos juntos e até questionei se tinha 7 vidas. Ele respondeu: você tem 9 e eu 9! Então dá 18! Fabão: ainda vamos voar muito! E voamos! E comemoramos juntos muitas conquistas! Sei que você tentou evitar o pior! Sou testemunha! Sou prova viva! Que Deus te receba com os demais e conforte os familiares! #luto

Uma publicação compartilhada por Fábio Novo (@fabionuneznovo) em

 

O senador Ciro Nogueira também se manifestou sobre a morte de Paulo César Magalhães. O presidente nacional do Progressistas contou que fez diversas viagens com o comandante e que sempre constatou o profissionalismo do piloto. 

"PC era um piloto experiente e um profissional exemplar, tive a oportunidade de fazer diversas viagens sob seu comando nas quais pude verificar sua capacidade, assim como a seriedade da empresa para a qual trabalhava, a Top Line. Nesse momento de dor, envio meus sentimentos à família do PC, e também aos familiares e amigos de todos os que faleceram neste trágico acidente. Que Deus os conforte", escreveu Ciro.

A deputada federal Iracema Portela contou que está muito triste com as quatro mortes que aconteceram no acidente aéreo. A parlamentar também relembrou viagens feitas com o comandante PC pelo inteiro  do Piauí e disse que lhe viu pela última vez na quarta-feira (13).

"Triste demais com a notícia da partida tão trágica do amigo PC; piloto experiente com quem viajei inúmeras vezes pelo interior do Piaui. Que Deus o receba, ampare sua família e as famílias  de todos os que faleceram neste acidente hoje. Na última quarta-feira quando eu estava embarcando de Teresina para Brasília o encontrei na Top Line, sempre tão educado e solícito", postou Iracema. 

 

Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir