Cidadeverde.com
Geral

Covid: em vídeo, médica Marina Bucar defende tratamento precoce com hidroxicloroquina

Imprimir

Foto: Reprodução/Instagram

A médica piauiense Marina Bucar, que ficou conhecida em todo o país pelo protocolo a base de hidroxicloroquina e azitromicina para tratar pacientes com covid-19, voltou a defender os medicamentos no tratamento preventivo a doença causada pelo novo coronavírus. Em vídeos publicados nas redes sociais, a médica, que atua na Espanha, disse que existem evidencias cientificas do benefício do tratamento precoce.

“Já existe evidência cientifica do benefício do tratamento precoce. As pessoas, pelo motivo que seja, não aceitam o tratamento, que por favor não diga que seja por falta de evidência. Quem sabe de medicina baseada em evidência - pois agora se repete muito esse termo - sabe que não é medicina baseada em evidenciar o nome. É a medicina baseada na melhor evidência disponível”, disse em um dos vídeos publicados em seu perfil no Instagram.

Segundo Marina Bucar, hoje em dia a melhor evidência disponível é a favor do tratamento precoce. A médica ressaltou que os profissionais que defendem o uso do medicamento estão sendo difamados.

“Não sei como vai ser dentro de 3 ou 4 meses, mas hoje a melhor evidência disponível é a favor do tratamento precoce. Seria bom que essas pessoas refletissem, pois agora não perdemos tempo olhando esse tipo de difamação, pois o que queremos é salvar vidas. Eu nem me preocupava muito, pois sou uma médica de hospital. É tanto que nem entro tanto no caso de zinco e ivermerctina, pois sou médica de hospital e defendo o tratamento precoce, pois acho que é a melhor alternativa. Existe vida após covid e tudo isso que estão falando pode ser considerado difamação”, afirmou.

Marina destacou que ainda não há especialistas em covid e que, antes de criticar, é preciso conhecer a doença.

“Não existe especialistas em covid, mas pelo menos que entendam a dinâmica da doença, tenham vistos pacientes com covid, pois realmente é muito difícil criticar um artigo se a gente não entende. Eu acho que a comunidade cientifica médica fez transparecer à população que a medicina é toda baseada em evidenciar. Isso não é verdade”, declarou, ressaltando que vários órgãos oficiais, dentre o Ministério da Saúde brasileiro, indicam o tratamento precoce.

“Existem vários órgãos oficiais no mundo que indicam tratamento precoce, pois já se viu que é a melhor estratégia atualmente. No Brasil, o Ministério da Saúde contempla nas suas recomendações a utilização e CFM também apoia os médicos que queiram utilizar”, afirmou.

Marina Bucar divulgou um link com vários estudos sobre o tratamento precoce. Em um deles, o uso precoce da hidroxicloroquina, azitromicina e zinco resultou em 84% menor hospitalização e 80% menor mortalidade – hospitalização.

“A maior evidência atual é a favor da hidroxocloroquina dado o tratamento precoce. O científico tem que usar maior evidência atual”, finalizou.

Assista aos vídeos:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Explicações preliminares

Uma publicação compartilhada por Dra Marina Bucar (@dramarinabucar) em

 

 

 

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir