Cidadeverde.com
Política

Governador lança cadastro para fazer um Raio X sobre a produção cultural no Piauí

Imprimir

Foto: Reprodução


Em live nesta quinta-feira (23), o governador Wellington Dias (PT) lançou o Sistema de Cadastro Cultural do Piauí (Sicac) que irá definir um mapa com toda a produção artística e cultural no estado. O banco de dados irá também ajudar os artistas a receberem o auxílio da Lei Aldir Blanc.    

O cadastro terá todos os trabalhadores da cultura do estado, incluindo as pessoas que participam da cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais. O cadastro deve ser feito no site da Secult, disponível em: http://www.cultura.pi.gov.br/sicac/.

 

Futuramente, o  mapa ajudará no acesso à Lei  Aldir Blanc, que garante ajuda emergencial para artistas, coletivos  e empresas que atuam no setor cultural. Porém, a participação no cadastro não permite o acesso direto ao benefício federal  que será proporcionado pela lei. 

“É uma plataforma que faz levantamento de informações a partir da apresentação de agentes culturais, artistas e viabiliza as condições de acesso a Lei Aldir Blanc. É uma proteção e auxílio no momento de pandemia. Após pandemia, permite ter uma atualização de todo o levantamento, acervo e relação em cada município de artista, de agentes e de entidades culturais”, disse. 

O secretário Estadual de Cultura, Carlos Anchieta, chama a atenção dos artistas para o fato do cadastro não realizar uma ligação direta  com o benefício emergencial proporcionado pela Lei  Aldir Blanc. 

“Lançamos o cadastro que irá trazer um Rio X da cultura do Piauí. Vamos ter um mapa cultural de todas as manifestações artísticas, brincantes de bois, de reisados, entre outras manifestações. Um  trabalho feito com os técnicos da cultura e artistas. Feito ouvindo as comunidades.  Vamos saber quem são nossos artistas, toda manifestação cultural de norte a sul do Piauí. No início,  o cadastro é para fazer o mapa cultural. Lá na frente vai servir de base para ligar com o sistema do Governo Federal e com a Lei Aldir Blanc”, disse.

Carlos Anchieta pede o apoio dos prefeitos para ajudar na realização do cadastro de artistas que vivem em comunidades mais distantes. “ Para poder traçar quem são as pessoas, que arte eles fazem, onde estão,  pedimos o apoio dos prefeitos. Se for possível até mesmo fazer uma busca ativa. Que as prefeituras ajudem nessa busca ativa”, destacou. 

O deputado estadual Fábio Novo (PT), que era secretário e deixou o cargo para concorrer a prefeito de Teresina, falou da importância do projeto.

“É um dia especial. O governador cobrava muito o mapa cultural do Piauí. A ideia do cadastro se iniciou na nossa gestão. Construir uma ferramenta para o Piauí ter dados que mostram um quadro da produção cultural. Com esse cadastro, vamos identificar qual o artista, onde ele se encontra e o que faz. Mapear todos os equipamentos de cultura ou que não existam. Vão nortear políticas mais efetivas de fortalecimento da cultura.  O governo por meio da secretaria ofertará uma ferramenta simples, com mobilização da sociedade”, afirmou. 

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Nelson Nery Costa, afirma que a criação do cadastro obteve uma repercussão nacional. “Tem uma repercussão nacional. Outros presidentes de conselhos de cultura querem conhecer. O conselho tem entrado em contato com os prefeitos para que cada município possa fazer sua parte. A principal instituição de cultura tem preocupação, principalmente, com os artistas mais pobres”, comentou. 

 

 

Lídia Brito

[email protected]

Imprimir