Cidadeverde.com
Últimas

Na volta das atividades físicas ao ar livre, Vigilância Sanitária fiscaliza uso de máscaras na Raul Lopes

Imprimir
  • mascara.jpg Clebson Lustosa/TV Cidade Verde
  • clebson_ar_livre_sanitaria5.jpg Clebson Lustosa/TV Cidade Verde
  • clebson_ar_livre_sanitaria4.jpg Clebson Lustosa/TV Cidade Verde
  • clebson_ar_livre_sanitaria2.jpg Clebson Lustosa/TV Cidade Verde
  • clebson_ar_livre_sanitaria.jpg Clebson Lustosa/TV Cidade Verde

Equipes da Vigilância Sanitária estadual e municipal acompanham a retomada das atividades físicas em espaços abertos para reforçar a importância do uso da máscara facial como barreira de proteção ao novo coronavírus. A orientação poderá dar lugar a aplicação de multa caso as pessoas insistam em não usar o acessório, que se tornou fundamental para conter a pandemia da Covid-19.

Nesta segunda (27), a fiscalização esteve na avenida Raul Lopes, na zona Leste de Teresina, por ser um tradicional local de caminhada e atividades ao ar livre. No Piauí, o não uso da máscara pode gerar multa de até R$ 1 mil para pessoas físicas. As equipes estão com distribuição de máscaras para orientar os que passam no local. 

A fiscalização da vigilância acompanha a primeira etapa da segunda fase da reabertura econômica de Teresina. A partir desta segunda (27)  estão autorizados, além das atividades em espaço abertos, o comércio atacadista e varejista de itens não essenciais, como eletrodomésticos, além de pet shop, agências de viagens, serviços administrativos, de edifícios, missas e serviços religiosos. 

A diretora da Diretoria de Vigilância Sanitária, Tatiana Chaves, esclarece que, inicialmente, o objetivo da presença da equipe de vigilância é orientar o uso da máscara.

"Como foram abertas as atividades econômicas hoje, no sentido de atividade ao ar livre, e lá é um dos locais que tem a caminhada, a gente está lá para orientar as pessoas a fazer o uso da máscara de forma correta. Caso não utilizem,  elas poderão ser multadas, mas a multa é uma consequência. Nós não estamos para multar; estamos para orientar que a população deve usar por ser uma barreira física", diz Chaves.

Fiscal da Vigilância Sanitária do Piauí, Orlando Negreiro, comenta que as vigilâncias do Estado e do Município fazem um trabalho educativo. 

"Estamos aqui devido a publicação do protocolo de atividades físicas em local aberto, mas nós também estamos aqui para multar as pessoas que estão sem máscara. O decreto estabelece multa de R$ 500  a R$ 1 mil para pessoa física. O protocolo possui todas as orientações, foi publicado no Diário Oficial, sobre distanciamento, uso da máscara, com álcool em gel. Estamos fazendo todas as orientações sobre esse protocolo. A resistência é grande, mas as pessoas não podem se sentir ofendidas". 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir