Cidadeverde.com
Últimas

Sem data para reabrir, academias de Teresina deverão readequar ambientes

Imprimir

Foto: Prefeitura de Teresina

O protocolo de reabertura das academias no Piauí prevê o funcionamento dos estabelecimentos em Teresina, pelo menos inicialmente, am áreas abertas, sem ar-condicionado, para facilitar a circulação do ar, além de outras medidas de segurança, como o não revezamento dos aparelhos entre os usuários.  As academias deverão acompanhar o protocolo que permite o uso dos parques e vias públicas para a prática de atividades físicas durante a pandemia da Covid-19. 

A Prefeitura de Teresina até o momento não permitiu a reabertura das academias, que estão fechadas desde o mês de abril como medida de prevenção ao novo coronavírus. Os proprietários das academias em Teresina finalizam um documento a ser entregue à  Prefeitura de Teresina citando medidas que poderão ser adotadas para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. A proposta com o novo modelo de funcionamento deverá ser entregue nesta terça-feira (11). 

No documento a ser entregue irá constar, dentre outras exigências, o uso de áreas abertas, a medição da temperatura ao entrar na academia, presença de tapetes de sanitização, oferta de álcool em gel e lavatórios para higienizar as mãos. O uso de máquina ficará sem o revezamento de usuários para minimizar o risco da contaminação. 

Nesta segunda-feira (10),  o prefeito de Teresina, Firmino  Filho, recebeu representantes dos proprietários das academias do Piauí e do curso de Educação Física da Universidade Federal do Piauí para discutir as condições de reabertura com segurança durante a pandemia da Covid-19. 

O prefeito Firmino Filho declara que “todo esse processo de reabertura tem sido feito em conjunto com as entidades ligadas a cada setor. Nosso objetivo maior é fazer uma retomada segura, sem risco para os empresários ou para os clientes”, disse.

O professor Eugênio Fortes, representante dos proprietários de Academias do Estado do Piauí, 
relata ao Cidadeverde.com que, durante a reunião, o prefeito de Teresina sinalizou a reabertura das academia em ambientes abertos sem climatização por ar-condicionado. "Os ambientes fechados mantém a presença do vírus por um tempo mais prolongado".

O protocolo de reabertura das academias deve acompanhar o documento que liberou as atividades físicas em ambientes abertos, como parques e vias públicas. "Nesse primeiro iremos funcionar em áreas abertas, espaços com teto, mas que não tenham climatização com ar-condicionado". 

Fortes ressalta que a presença de um profissional de Educação Física dentro de uma academia será um "elemento de segurança" para que o uso da máscara, o distanciamento social e o uso correto dos aparelhos sejam respeitados pelos usuários. "A vigilância será maior porque o profissional vai está no local conscientizando o uso da máscara e o distanciamento". 

"Acredito que ao levar o documento a prefeitura irá aprovar. Esse documento será uma analogia ao que já é permitido na práticas de atividades físicas em espaços abertos, parques e ruas. A  abertura deverá ser de imediato com a aprovação do documento pelos técnicos da Prefeitura. Nós queremos legalizar a reabertura". 

A Prefeitura de Teresina informou que a proposta de reabertura "será elaborada em conjunto com a Universidade Federal do Piauí, que dará parecer técnico sobre a viabilidade de aplicação do novo modelo".

“A Universidade entende que atividade física é necessária para a saúde das pessoas, inclusive para a saúde mental, e o que se tem que fazer é repensar novos espaços neste novo normal, novas formas e possibilidades de práticas de atividade física em ambientes que sejam semelhantes a espaços abertos. Hoje, a estrutura das academias não oferece a segurança necessária, mas há a possibilidade de se construir uma reabertura priorizando a saúde das pessoas”, ressalta 

O professor do curso de Educação Física da UFPI, Emídio Matos, que também estava na reunião, comenta que a "atividade física é necessária para a saúde das pessoas, inclusive para a saúde mental, e o que se tem que fazer é repensar novos espaços neste novo normal, novas formas e possibilidades de práticas de atividade física em ambientes que sejam semelhantes a espaços abertos".

"Hoje, a estrutura das academias não oferece a segurança necessária, mas há a possibilidade de se construir uma reabertura priorizando a saúde das pessoas”, ressalta Emídio Matos. 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir