Cidadeverde.com
Viver Bem

Campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul ajudam na conscientização

Imprimir

As campanhas de conscientização e informação através das cores já são consideradas verdadeiros casos de sucesso, pois vêm contribuindo para a prevenção de sérios problemas de saúde e para uma maior longevidade de vida das pessoas. 

Todos os meses do ano recebem uma cor associada a um problema específico, aumentando a propagação de informação sobre esses temas. Os mais famosos, no entanto, são o Outubro Rosa e o Novembro Azul, que associam cores normalmente relacionadas com itens masculinos e femininos a problemas que acometem homens e mulheres em todos os países: câncer de mama e o câncer de próstata.

No Brasil, diversas entidades realizam movimentos de conscientização junto à população. No Piauí, a Associação Piauiense de Combate ao Câncer Alcenor Almeida, mantenedora do Hospital São Marcos (APCC/HSM), entra no movimento e durante os meses de outubro e novembro realizará diversas ações de sensibilização para a importância do diagnóstico precoce das doenças.

Outubro Rosa 

O símbolo internacional do mês é o laço rosa. Lançado em 1997, na Califórnia – EUA, o Outubro Rosa é um movimento mundial que tem como objetivo conscientizar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. A doença é mais comum entre as mulheres, respondendo por 28% dos casos novos a cada ano. É o segundo tipo mais frequente no mundo. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, principalmente após os 50 anos.

Novembro Azul

Criado por um grupo de amigos australianos, o projeto – que tem o bigode como seu símbolo – tem o objetivo de conscientizar os homens sobre cuidados básicos de saúde e, principalmente, sobre a luta contra o câncer de próstata. O câncer de próstata é considerado o segundo mais comum na população masculina em todo o mundo. A maioria dos cânceres de próstata é diagnosticado em homens acima dos 65 anos, e somente menos de 1% é diagnosticado em homens abaixo dos 50 anos. Com o aumento da expectativa de vida mundial, é esperado que o número de casos novos de câncer de próstata aumente cerca de 60%.


Da Redação
[email protected] 

Imprimir