Cidadeverde.com
Esporte

Cavalieri pega pênalti, Botafogo vence o Palmeiras e encerra jejum

Imprimir

Foto: Vitor Silva/Botafogo.

 

O Botafogo venceu o Palmeiras nesta quarta (7), por 2 a 1, no estádio Nilton Santos, e encerrou uma sequência de dez partidas sem vitória no Campeonato Brasileiro. Além disso, acabou com a longa sequência de 20 partidas sem derrotas do rival, que não era batido desde o fim de julho. Os gols alvinegros foram marcados por Pedro Raul e Caio Henrique, enquanto Willian descontou.

A última vitória do Bota na competição havia sido na terceira rodada, contra o Atlético-MG. Da penúltima colocação, o time agora sob o comando de Bruno Lazaroni chega a 15 pontos e deixa a zona de rebaixamento. Já o Palmeiras permanece com 22 e deixa o G4: é o quinto colocado.

Os times voltam a atuar no Brasileirão no fim de semana: o Verdão recebe o São Paulo, sábado (10), às 19h, no Allianz Parque, e o Fogão visita o Sport, domingo (11), às 18h15.

O MELHOR: CAVALIERI
Sem Gatito, convocado para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, Diego Cavalieri acabou sendo o grande nome do jogo no Nilton Santos. Isto porque ele poderia ter virado o vilão, ao cometer o pênalti em Willian, quando o Palmeiras buscava o empate. O goleiro, porém, foi muito bem e defendeu a cobrança do centroavante adversário, impondo a derrota ao clube que o formou.

O PIOR: RONY
Rony teve mais uma partida abaixo do esperado no Palmeiras. Considerado a válvula de escape do time alviverde no Rio de Janeiro, o camisa 11 foi afobado nas tomadas de decisões e acabou substituído. Ainda não foi dessa vez que o atacante se firmou.

PRIMEIRA DERROTA DESDE O PAULISTÃO
O Palmeiras viu acabar a sua maior sequência invicta desde 2012 - o time não era derrotado desde o dia 22 de julho, quando perdeu para o Corinthians por 1 a 0, ainda na primeira fase do Campeonato Paulista. Eram dez vitórias e dez empates desde então. O Verdão era, também, a equipe da Série B com a invencibilidade mais longa até esta noite.

HONDA E GUILHERME SANTOS DE VOLTA
Uma das principais contratações para a temporada, o meia Honda voltou para este duelo com o Palmeiras. O jogador esteve fora das últimas partidas por conta de uma torção no tornozelo. A última atuação do japonês havia sido contra o Vasco, no último dia 23, pela Copa do Brasil. Guilherme Santos, que estava fora por uma lesão na coxa esquerda, voltou depois de quase um mês, também.

CRONOLOGIA DO JOGO
O Botafogo começou o jogo dando trabalho para a saída de bola do Palmeiras e marcou adiantado, mostrando-se um time mais compacto na marcação. Ainda que tenha encaixado algumas saídas em velocidade, pecou por diversas vezes no último passe. Rafael Forster, que vinha atuando como um "falso volante", esteve um pouco mais avançado, auxiliando também na saída de bola.

No Palmeiras, a equipe começou jogando distante, com dificuldades para desenvolver lances de linha de fundo pela esquerda, com Mayke improvisado. Felipe Melo, Patrick de Paula e Bruno Henrique cometerem erros que criaram chances ao Fogão. A primeira etapa, porém, acabou sem grandes defesas de Jailson e Diego Cavalieri.

Após o intervalo, o jogo mudou bastante, e o Botafogo construiu sua vantagem rapidamente: Pedro Raul abriu o placar no primeiro minuto da etapa final, quando Vanderlei Luxemburgo ainda nem tinha voltado do banco de reservas, e Caio Alexandre, em seguida, aproveitou o rebote de Jailson para fazer 2 a 0. O lance demorou a ser confirmado por conta da análise do VAR, mas o árbitro de vídeo confirmou o gol alvinegro.

Diante da atuação apática, Luxemburgo rapidamente fez as cinco trocas, e o Palmeiras passou a pressionar. As chances foram se amontoando, e Willian descontou aos 31, em rebote dentro da área. Se o atacante iniciou a reação, acabou ficando marcado pelas chances desperdiçadas em seguida. A primeira, livre de frente para Cavalieri, mandando à direita da meta. Depois, no pênalti que ele mesmo sofreu, mas bateu para a defesa do camisa 1 botafoguense.

Os minutos finais foram de abafa alviverde, mas o Botafogo soube resistir para garantir a sua segunda vitória no campeonato e decretar a primeira derrota do Palmeiras na competição.

BOTAFOGO
Diego Cavalieri; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; Rafael Foster (Kalou), Caio Alexandre (Sousa) e Honda (Rentería); Rhuan (Guilherme Santos), Matheus Babi e Pedro Raul (Warley). Técnico: Bruno Lazaroni
PALMEIRAS
Jailson; Marcos Rocha, Felipe Melo, Luan e Mayke (Gustavo Scarpa); Patrick de Paula (Ramires), Bruno Henrique (Zé Rafael) e Raphael Veiga (Lucas Lima); Wesley, Rony (Gabriel Veron) e Willian. Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Guilherme Santos, Diego Cavalieri, Warley (BOT); Wesley, Jailson, Marcos Rocha, Lucas Lima (PAL)
Gols: Pedro Raul, do Botafogo, aos 50 segundos do segundo tempo; Caio Alexandre, do Botafogo, aos 4 minutos do segundo tempo; Willian, do Palmeiras, aos 31 minutos do segundo tempo

ALEXANDRE ARAÚJO E THIAGO FERRI
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir