Cidadeverde.com
Viver Bem

Veja três dicas simples parar de comer doce

Imprimir

Foto: Pixabay / fotos gratis

Se você é daquelas pessoas que consideram comer um docinho um dos grandes prazeres da vida, saiba que o excesso dessas delícias, não só atrapalha o emagrecimento, mas a sua saúde também está em jogo. Afinal, essa vontade tem origem emocional, fisiológica ou até mesmo comportamental.

Acredita que precisa de ajuda para controlar a vontade de comer doce, mas não sabe o que fazer? Fique tranquila. A nutricionista, Karina Peloi, orienta que apostar em algumas atitudes simples no dia a dia pode mudar esse comportamento e acabar com essa vontade que você sente como, muitas vezes, incontrolável.

Para ajudá-la a evitar ou começar a diminuir o consumo de doces, siga essas dicas:

Não tenha acesso
Isso mesmo, Karina ensina que para afastar a tentação é preciso afastar os doces e guloseimas do alcance das mãos. Evite ter por perto, como nos armários de casa, gavetas do escritório, na bolsa, alimentos como chocolates, biscoitos, bolos, sorvete, entre outros. O estímulo visual ou apenas o fato de saber que está facilmente disponível, pode gerar a vontade de comê-lo.

“Para muitas pessoas pode ser difícil resistir a um doce. Alimentos com açúcar e carboidratos liberam substâncias químicas no cérebro, o que proporciona bem-estar e dá a sensação de recompensa. Mas o açúcar em excesso, além de acarretar problemas de saúde, é um dos vilões no processo de emagrecimento”.

Não coma
Parece óbvio, no entanto, a especialista afirma que o óbvio precisa ser dito. Há muitas opções saudáveis para fazermos substituições e suprir essa necessidade, as frutas, as castanhas são excelentes alternativas que trazem saciedade e podem auxiliar a enganar a vontade de comer doces.

“Você tem se dedicado a fazer dieta direitinho? Mudou os hábitos alimentares, tem tido uma alimentação balanceada. Então, relembre todo o seu esforço e pense duas vezes antes de comer doce. Não coloque tudo a perder”.

Vá correr
“Brincadeira à parte”, diz a nutricionista, para explicar que uma saída para enfrentar o desejo por doces é praticar atividade física e também considerar outras formas de sentir prazer que não seja o alimento.

"Sabemos que os exercícios físicos liberam endorfina, hormônio responsável pela sensação de prazer e que reduz o nível de ansiedade e o risco de atacar alguma guloseima. Outros hormônios que são liberados e só fazem bem ao organismo são: serotonina, adrenalina e noradrenalina, glucagon, GH (hormônio do crescimento), leptina e grelina, que desempenham importante papel na regulação da ingestão alimentar e no gasto energético, gerando um aumento na queima de energia e diminuindo a ingestão alimentar”, explica Karina.

 

[email protected]

Imprimir