Cidadeverde.com
Geral

Mais de 200 crianças foram vítimas de acidentes de trânsito no Piauí de janeiro a agosto

Imprimir

Fotos enviadas por internautas ao Cidadeverde.com

Pelo menos 217 crianças e adolescentes, de 0 a 17 anos, no Piauí foram vítimas de acidentes de trânsito, entre janeiro e agosto de 2020. Destes, 64% teriam ficado com sequelas permanentes e solicitaram indenizações por invalidez. É o que aponta o levantamento da Seguradora Líder, responsável pelo pagamento do DPVAT. Em comparação com o ano passado, de janeiro a dezembro, foram 290 vítimas entre 0 e 17 anos e 139 pediram o auxílio por invalidez. 

Em todo o Brasil, 73% das indenizações pagas pelo DPVAT para vítimas de 0 a 17 anos foram por invalidez permanente. Os dados revelam, ainda, que as motocicletas foram responsáveis por quase 60% dos acidentes envolvendo crianças e adolescentes. No Piauí, o percentual foi de cerca de 52%, com 112 vítimas em motocicletas. 

Com a proximidade do Dia das Crianças, a seguradora resolveu divulgar os números para alertar para o alto índice de casos de invalidez permanente entre esta parcela da população. 

Ao todo foram 7,7 mil acidentados nesta faixa etária que foram indenizados no país, e destes 5.707 (73%) ficaram com sequelas permanentes após a ocorrência e foram indenizados pela cobertura de invalidez.

O levantamento mostra, ainda, que a cobertura para reembolso de despesas médicas e suplementares indenizou 14% (1.135) das vítimas infanto-juvenis. Os outros 12% (957) dos benefícios foram destinados aos familiares das vítimas que não sobreviveram aos acidentes.

Na dianteira das ocorrências com menores de idade estão as motocicletas (57%), totalizando 4.485 sinistros pagos. Os automóveis aparecem em seguida, com 2.631 indenizações. Já os caminhões e pick-ups foram responsáveis por 453 ocorrências indenizadas, enquanto ônibus, micro-ônibus e vans registraram 194 pagamentos, e os ciclomotores responderam por 36 sinistros.

No Piauí, de janeiro a agosto foram registrados 5.831 acidentes, destes 91% (5.287) o veículo era motocicleta. 4.039 das vítimas solicitaram seguro por invalidez, 705 a cobertura por morte e 1.087 reembolso de despesas médicas. 

Para o diretor de Operações e TI da Seguradora Líder, Iran Porto, o levantamento realizado serve como um alerta aos responsáveis e aos próprios jovens. 

"Além dos cuidados ao conduzir crianças e adolescentes como passageiros, é preciso redobrar a atenção nas vias públicas. Para se ter uma ideia, cerca de 4.300 crianças e adolescentes estavam na condição de pedestres quando se acidentaram", chama a atenção o executivo, ressaltando que é fundamental que os adultos fiquem atentos e respeitem as medidas de proteção.

“Se compararmos o total de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT este ano às crianças com idades de 0 a 7 anos, e em de 2008, ano que o uso da cadeirinha passou a ser obrigatório no país, é possível observar uma redução de 50%", observa Iran.

Neste ano, os estados com os cenários mais preocupantes em termos de acidentes envolvendo menores de idade são: Minas Gerais, que lidera o ranking com 881 indenizações pagas; São Paulo, com 786 registros; e Ceará, em terceiro lugar com 550 sinistros; Já Amapá, Acre e Distrito Federal, foram as unidades federativas que registraram os menores índices, com 16, 30 e 51 ocorrências, respectivamente. O Piauí ficou na 15ª posição.  

Sobre o Seguro DPVAT

O DPVAT é um seguro obrigatório de caráter social que protege os mais de 212 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito, sem apuração da culpa. Ele pode ser destinado a qualquer cidadão acidentado em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre, e oferece três tipos de coberturas: morte (valor de R$13.500), invalidez permanente (de R$135 a R$13.500) e reembolso de despesas médicas e suplementares (até R$2.700). A proteção é assegurada por um período de até três anos.


Caroline Oliveira
[email protected]

Imprimir