Cidadeverde.com
Geral

Teresina registra queda superior a 70% em mortes por Covid e atendimentos gripais

Imprimir

Foto: Ascom/FMS

Dados do Painel Covid, mantido pela Fundação Municipal de Saúde (FMS),  mostram que a redução nos óbitos causados pelo novo coronavírus chegou a 77,52%  quando se compara dados do mês de julho, período do pico da doença, até agora. Em relação ao número de atendimentos de síndromes gripais, a queda foi de 74,16% no mesmo período. A tendência de queda vem se mantendo mesmo após a reabertura das atividades econômicas, há mais de três meses. 

Para o prefeito Firmino Filho, os números mostram o resultado de um trabalho articulado e organizado no enfrentamento da doença. Além das medidas mais restritivas que foram adotadas desde o início da pandemia, em março, a estruturação das unidades de saúde também se mostraram efetivas. “Isso é possível se perceber quando avaliamos os números semana a semana. Estamos conseguindo nos manter no patamar de queda. Mesmo com o restabelecimento das atividades econômicas e sociais, não tivemos um aumento no número de casos”, avalia.

Ainda de acordo com os dados da FMS, em junho Teresina registrou 316 óbitos de residentes, número que vem caindo nos meses de agosto e setembro, quando foram computados 179 e 98 casos, respectivamente. A expectativa é que a tendência de queda se mantenha nesse mês de outubro.

Quando se leva em consideração os números de casos confirmados da doença, o levantamento também mostra uma queda significativa. Em julho, quando Teresina registrou o pico da Covid, foram notificadas 11.305 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Em agosto, o número caiu para 7.598 e, em setembro, ficou em 4.507 casos.

De acordo com o médico infectologista Kelsen Eulálio, membro do Comitê de Operações Emergenciais (COE), a redução no número de casos pode está associada a um conjunto de medidas que foram adotas e também a uma redução do número de pessoas susceptíveis à doença. “Houve aumento progressivo de pessoas que se infectaram e adquiriram algum grau de imunidade. Outra justificativa pode ser a manutenção das medidas de prevenção, como uso de máscaras, lavagem de mãos, distanciamento social”, avalia. 

Apesar do quadro atual, com queda nos números da Covid, o médico reforça que o momento ainda requer cautela. “O importante agora é continuarmos vigilantes, adotando as medidas de prevenção contra a doença para que não tenhamos um aumento no número de casos”, alerta.

Da Redação
[email protected]

Imprimir