Cidadeverde.com
Geral

Modelo teresinense denuncia ex-namorado estrangeiro por perseguição e difamação

Imprimir

Foto: Reprodução/Instagram

A modelo teresinense Rayanne Adorno, 27 anos, usou as redes sociais para denunciar que está sendo perseguida pelo ex- namorado.  Em um longo desabafo, ela diz que há um ano e dois meses é difamada e atormentada pelo ex-companheiro, o estrangeiro Malik Roy, através de ataques virtuais por meio de perfis fakes e verdadeiros. 

Rayanne expôs prints de mensagens com conteúdo racistas, misóginos e xenofóbicos escritas por perfis atribuídos a Malik Roy e enviados para ela e amigos dela. A modelo denuncia que o ex também lhe envia, por meio de e-mails , fotos e  vídeos de assassinatos.

"Malik  fez vários perfis no Facebook e Instagram, tanto fakes como verdadeiros “MALIK ROY”. Diariamente meus amigos e eu temos que lidar com mensagens de números desconhecidos e de contas falsas nas redes sociais, já tentei denunciar os conteúdos violentos e racistas que ele vem postando e me enviando por e-mail, porém, são inúmeras postagens feitas por ele todos os dias", conta a modelo.

Rayanne conheceu Malik em Budapeste, capital da Hungria. A modelo conta que as perseguições começaram quando ela resolveu por um fim ao relacionamento.  Com medo de Malik, a modelo resolveu voltar para Teresina no fim do ano passado, mas as ameaças continuaram a ser feitas. 

"Diariamente meus amigos e eu temos que lidar com mensagens de números desconhecidos e de contas falsas nas redes sociais, já tentei denunciar os conteúdos violentos e racistas que ele vem postando e me enviando por email, porém são inúmeras postagens feitas por ele todos os dias. Ele começou a mandar mensagens de ameaça para que eu me sentisse insegura fora do meu país. Por medo, acabei voltando para o Brasil, e os ataques só aumentaram, tomando proporções cada vez maiores. Eu já registrei vários Boletins de Ocorrência e processos a fim de denunciar as agressões, ameaças e perseguições feitas pelo Malik, desde 31 de julho de 2019 (data do primeiro BO, registrado em Budapeste, Hungria. É um processo complicado e demorado que envolve muita coisa, mas continuarei na luta", desabafa Rayanne.

O Cidadeverde.com não conseguiu o contato de Malik. Segundo Rayanne, nem mesmo a polícia consegue contatar seu ex para que ele possa responder criminalmente pelas perseguições.  

A modelo  também fez denúncias na Delegacia da Mulher Sudeste , em Teresina, e já está amparada por medidas protetivas. 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Eu sou mais uma vítima de um homem q ñ sabe digerir o término de um relacionamento. Já faz um tempo q tô sendo perseguida, difamada e atormentada pelas redes sociais, por volta de 1 ano e 2 meses. Tudo começou qndo eu decidi por um ponto final em algo q já ñ me satisfazia mais. O ponto alto do meu descontentamento foi qndo percebi q a minha independência e a minha liberdade se tornaram um enorme problema na relação. Ele (Malik Roy), vem me atacando das maneiras + sujas e incansáveis q algm poderia tentar: ameaças, xingamentos, frases racistas, xenofóbicas e misóginas. Malik fez vários perfis no FB e Insta, fakes e verdadeiros “MALIK ROY”. Diariamente meus amigos e eu temos q lidar com msgs de n° desconhecidos e de contas falsas nas redes socias, já tentei denunciar os conteúdos violentos e racistas q ele vem postando e me enviando por email, porém são inúmeras postagens feitas por ele todos os dias. Acabei me deixando levar pela negatividade e o cansaço q isso tá me causando, me afastei da internet pq descobri q algm fazia prints das minhas atividades nas redes sociais e enviava para ele, então me vi em uma situação em q desconfiava de todos; me sentia vigiada. Vi q tava me silenciando, fugindo d 1 criminoso q tenta me destruir a qq custo, e q eu enquanto vítima deveria ser forte e buscar medidas p acabar com isso, msm sabendo q sempre vai ter comentários machistas e possíveis dúvidas sobre a meu papel cm namorada e ex. [CONTINUA NOS COMENTÁRIOS]

Uma publicação compartilhada por @ rayanneadorno em

 

Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir