Cidadeverde.com
Geral

Suspeito de explodir banco é preso após atropelar ciclista e fazer morador de refém

Imprimir

Foto: PM/PI

Atualizada às 15h40

Um dos suspeitos de explodir e roubar uma agência bancária em Miguel Alves foi preso nesta terça-feira (27) após fazer uma pessoa de refém e atropelar um ciclista . A prisão foi confirmada pelo secretário estadual de Segurança, coronel Rubens Pereira.  O refém foi liberado. Durante fuga da polícia, ele atropelou um ciclista na região de José de Freitas, que morreu no local. 

“Um bandido pegou uma pessoa de refém e entrou nesse carro na região de Miguel Alves. Ele também atropelou uma pessoa. O bandido, que era fugitivo, está preso. A pessoa refém foi liberada e está bem. (O preso) é um dos membros da explosão (do banco de Miguel Alves) ”, disse o coronel. 

Esse suspeito tomou o carro de um professor e empreendeu fuga. Minutos depois, abandonou esse veículo e tomou outro de roubo fazendo uma pessoa de refém. Na fuga, ele acabou caindo em uma barreira da Polícia Militar em José de Freitas. O suspeito empreendeu nova fuga e acabou atropelando um ciclista. 

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Lindomar Castilho, comenta que a “caçada” aos suspeitos começou no dia 04 de outubro de 2020, quando eles explodiram o banco. 

“São três semanas de caçadas ininterruptas. Hoje pela manhã um desses marginais que estão na mata, escondidos, correndo da polícia e da justiça, acabou chegando em um povoado e tomou (de assalto) o carro de um professor e conseguiu fugir da região de Miguel Alves. Ele trocou de carro e pegou (de assalto) outro veículo e fez uma refém. A polícia foi alertada disso e colocou barreiras no percurso. Já chegando em José de Freitas, ele se deparou com uma barreia policial. Tentou sair da barreia policial e ‘perdeu’ o carro em uma curva, e acabou atropelando um morador (que estava) de bicicleta. Infelizmente, (o morador) veio a óbito”, disse. 

Roubo

Uma agência bancária em Miguel Alves foi alvo de uma quadrilha especializada neste tipo de crime no dia 04 de outubro de 2020. A ação ocorreu durante a madrugada e o bando chegou a fazer moradores de reféns. Os moradores foram liberados momentos depois da explosão. 

Durante confronto com a polícia, no dia 14 de outubro, um dos membros apontados pela polícia morreu. Quatro dias após essa morte, um morador também morreu durante confronto entre bandidos e policiais. As duas mortes ocorreram na cidade de União.  

Equipes policiais estão na captura dos membros da quadrilha desde o dia da explosão. Os membros da quadrilha estão escondidos na mata da região. Os policiais piauienses receberam apoio das policiais do Maranhão e do Ceará. 

 


Foto: PM/PI

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir