Cidadeverde.com
Entretenimento

Mansão em que Robin Williams foi encontrado morto é vendida por R$ 28 milhões

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/@robinwilliams

Com uma vista panorâmica da Baía de São Francisco, a casa do ator Robin Williams, morto em 2014 aos 63 anos, foi vendida por US$ 5,35 milhões, cerca de R$ 28 milhões na cotação do dólar atual. A informação foi publicada pelo jornal Los Angeles Times.

Segundo a reportagem, há um ano o imóvel estava avaliado em US$ 7,25 milhões (cerda de R$ 38,7 milhões). A mansão fica localizada em Paradise Kay, e foi comprada pelo ator no ano de 2008 por aproximadamente US$ 4 milhões (hoje o equivalente a R$ 21,2 bilhões).

Foi nesta residência que Williams foi encontrado sem vida no dia 11 de agosto de 2014. O xerife do condado de Marin afirmou na época que a causa da morte se tratava de um aparente suicídio.

A casa do ator se tornou motivo de briga na justiça entre a esposa, Susan Schneider Williams, 56, e os filhos Zachary, Zelda e Cody. Susan disse que não estava recebendo dinheiro suficiente para conseguir manter a mansão. O caso foi resolvido no ano seguinte.

A designer gráfica Susan Schneider também revelou mais tarde que o artista sofria de Demência de Corpos de Lewy, uma doença neurodegenerativa que altera o humor e os movimentos e causa alucinações.

Vencedor do Oscar, Robin Williams ganhou um canal especial no YouTube chamado Robin Williams: Comic Genius. O projeto da TimeLife, tem como objetivo relembrar e homenagear diversos momentos da carreira do comediante.

Ele é conhecido por seus papéis em filmes como "Sociedade dos Poetas Mortos" (1989), "Uma Babá Quase Perfeita" (1993), "Jumanji" (1995), "Flubber - Uma Invenção Desmiolada" (1997), "Patch Adams - O Amor é Contagioso" (1998) e "O Homem Bicentenário" (1999). Venceu o Oscar de melhor ator coadjuvante em 1998, por "Gênio Indomável", no qual contracenou com Matt Damon.

Fonte: Folhapress

Imprimir