Cidadeverde.com
Esporte

Confiança surpreende no Mineirão e Cruzeiro perde a primeira com Felipão

Imprimir

O Cruzeiro voltou a tropeçar na Série B do Campeonato Brasileiro e conheceu sua primeira derrota sob o comando de Luiz Felipe Scolari. O time de Felipão recebeu na noite desta sexta-feira o Confiança, no Mineirão, pela 24ª rodada, e perdeu por 2 a 1.

Foto - Bruno Haddad - Cruzeiro

Com o resultado, o Cruzeiro segue com 28 pontos, ainda na 15ª colocação, com sete pontos a mais do que o Náutico, primeiro time dentro da zona do rebaixamento. Já o Confiança chega a 35 pontos e segue sonhando com o acesso. O time sergipano tem cinco pontos a menos do que as primeiras equipes do G-4.

Ao contrário do que se imaginava, o Confiança começou pressionando e teve quatro escanteios nos primeiros quatro minutos, todos cobrados por Guilherme Castilho. De tanto insistir, ele abriu o placar com um gol olímpico. A bola veio na primeira trave e Jadsom ainda tentou tocar de cabeça, mas desviou para as redes.

O gol deixou o Cruzeiro nervoso em campo e o Confiança se aproveitou para ampliar ainda antes do intervalo. Aos 24 minutos, a bola bateu na mão de Raúl Cáceres dentro da área e o árbitro paraense Andrey da Silva e Silva marcou pênalti. Renan Gorne cobrou deslocando Fábio e marcou o segundo dos visitantes

A resposta cruzeirense só veio no segundo tempo. Aos oito minutos, William Pottker ameaçou o chute, mas teve boa visão e colocou na cabeça de Raúl Cáceres, que completou para o fundo do gol. A partir daí, o time da casa passou a pressionar em busca do empate e conseguiu deixar o adversário acuado no campo de defesa.

Com muito volume de jogo, especialmente após a entrada de Marcelo Moreno, o Cruzeiro desperdiçou diversas oportunidades dentro da área, e viu o goleiro Rafael Santos se destacar para garantir a vitória do Confiança por 2 a 1.

O Confiança volta a campo na próxima terça-feira, quando recebe o Figueirense no Batistão, pela 25ª rodada da Série B. Na quarta-feira, o Cruzeiro faz o clássico contra o América-MG, no Independência.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir