Cidadeverde.com
Política

Robert Rios anuncia delegacia municipal e pede para servidor ir trabalhar no dia 2

Imprimir

O vice-prefeito eleito de Teresina, Robert Rios (PSB), confirmou nesta quarta-feira (2) que a capital irá ganhar uma delegacia de segurança municipal. Durante a campanha eleitoral, praticamente todos os candidatos tinham em seus planos de governo a criação de uma secretaria de segurança. Rios disse ainda que o servidor pode ir trabalhar normalmente no dia 2 de janeiro, mesmo que seja exonerado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) no dia 31.

"Teresina hoje está entre as 5 cidades mais violentas do planeta terra. Teresina é a capital da fome. O primeiro compromisso será dar cidadania às pessoas. Quando você oferece cidadania não tem violência. A prefeitura vai fazer a delegacia de segurança municipal. Ela terá vários papeis. Vai ter diretoria de informação para ajudar a PM e a Polícia Civil, mas o trabalho de devolver a justiça roubada do povo vai conter muito mais a violência. A injustiça que tem em Teresina, as condições da nossa periferia, isso é que gera violência", afirmou durante entrevista à TV Cidade Verde.

Já em relação aos servidores, o vice-prefeito eleito garantiu que não terá perseguição e até convocou todos aqueles que serão exonerados no dia 31 de dezembro a comparecer ao trabalho normalmente no dia 2 de janeiro.

Foto: Yala Sena

"Como é praxe, o Firmino vai exonerar todos. O que eu estou dizendo para os servidores: mesmo exonerados, fiquem em seus postos. Podem ir no dia seguinte ao feriado trabalhar. Ocupem seus postos, só quem vai determinar quem é que sai, quem é que fica é o Dr. Pessoa. É importante que cada um permaneça em seus postos", declarou.

Robert destacou que os servidores viveram momentos de terrorismo na campanha eleitoral e concordou que os salários pagos aos efetivos são baixos.

"Durante a campanha criaram um terrorismo com os servidores. Servidor efetivo é efetivo. Esses servidores são talvez os mais mal pagos das capitais. O salário é muito baixo e já entramos pensando nisso", disse, ressaltando o respeito pelos servidores.

"Essa missão não é nossa de perseguir. Não vamos chegar lá com um monte de gente e entrar. Vamos fazer com muita tranquilidade e segurança. O terceirizado tem o nosso respeito. Queremos é saber se no dia 1º de janeiro tem médico de plantão", acrescentou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir