Cidadeverde.com
Política

Robert Rios diz que transição desmistifica informações e critica “ansiedade” por cargos

Imprimir

Foto: Arquivo/CidadeVer.com

O vice-prefeito eleito, Robert Rios (PSB), afirma que a equipe de transição de Dr. Pessoa (MDB) testaria desmestificando algumas informações, que segundo ele, foram passadas pela Prefeitura de Teresina. Robert avalia que o prefeito eleito fará um choque de gestão com cortes de gastos e valorização do servidor. 

Robert diz que o relatório final da equipe deve ser finalizado até o dia 18. 

“Os levantamentos estão adiantados. Reconhecemos a colaboração do prefeito Firmino Filho na transição. Temos uma equipe de técnicos que levanta setor por setor. Queremos chegar até o dia 18 já com esse levantamento pronto. Para que possamos preparar o relatório e entregar a Dr. Pessoa. Com isso, ele posso preparar a equipe para administrar a cidade e que não tenha nenhum atropelo. Coisas que eram ditas na campanha foram desmistificadas. A história de que se teria R$ 1 bilhão para investimentos. O dinheiro não se encontra na conta da prefeitura. Uma coisa é buscar recursos em banco. Outra coisa é se falar que teria esse dinheiro”, destaca.

Ele busca tranqüilizar servidores comissionados e terceirizados.  “Outra coisa que se dizia era que no IPMT tinha R$ 1 bilhão. Não é verdade. A IPMT tem algo um pouco maior do que R$ 300 milhões. Tem mais R$ 1 milhão em ativos recuperáveis. É dinheiro que pertence aos servidores. O resto é administrado via máquina. A máquina precisa levar um choque de enxugamento de desperdícios. A intenção do Dr. Pessoa é manter um diálogo franco, aberto e fraternal com os servidores públicos das mais diferentes categorias. Não passa pela cabeça do Dr. Pessoa qualquer tipo de retaliação e perseguição a servidores humildes. Não serão perseguidos por alguém como Dr. Pessoa. Todos devem ficar apostos depois do dia 1º de janeiro.

O vice-prefeito eleito é cotado para ser secretário. Ele não revela, mas nos bastidores, a informação é que ele poderia comandar Fianças ou o Instituto de Previdência do Município de Teresina (IPMT). 

 “Ele fez uma campanha intensa. Ando em todos os cantos de Teresina. Quem conhece Dr. Pessoa sabe que ele descansa e se encontra com a caneta na mão começando a escolher a equipe. Essa vontade de se autoconvocar e se oferecer não é muito bom. Quem tem talento, quem tem conhecimento, não precisa se oferecer. Na vida se trabalha, se posiciona e espera ser convidado. Quem estava na campanha trabalhando e se posicionou muito bem, estará no governo”, disse. 

Lídia Brito
[email protected]

Imprimir