Cidadeverde.com
Geral

André Macêdo e mais 15 reitores eleitos criticam "intervenções" do MEC

Imprimir

Foto: Arquivo/ Cidadeverde.com

O professor André Macêdo, que obteve o melhor resultado na consulta acadêmica para a escolha do novo reitor da Universidade Federal do Piauí (UFPI), se uniu a mais 15 "reitores e diretores eleitos" e assinou uma carta aberta  para criticar a postura "antidemocrática" do Ministério da Educação. 

"As garantias constitucionais definem a autonomia universitária como um dos pilares do Estado Democrático de Direito. Ao afrontá-la, as recentes nomeações e indicações feitas pela Presidência da República, por iniciativa antidemocrática do MEC, criam uma imagem institucional bastante negativa, corroborando para que a sociedade civil veja com descrédito as Instituições e seus processos decisórios, que devem ser sempre democráticos", diz trecho da carta.

A chapa de André Macêdo e Carlos Sait ficou em primeiro lugar na formação da lista tríplice, que foi enviada ao Ministério da Educação, para escolha do novo reitor.  Tradicionalmente, o primeiro colocado era nomeado reitor pelo governo Federal,mas o presidente Jair Bolsonaro nomeou Gildásio Guedes, que ficou na segunda  posição. 

"A intervenção nas Instituições Federais de Ensino e a indicação de reitores biônicos remontam aos tempos da Ditadura Militar no Brasil e não são aceitáveis no Estado Democrático de Direito, conquistado a partir de duras lutas políticas e sociais e que tem na Constituição de 1988 seu grande marco. Nessas Instituições, são realizadas, há mais de 30 anos, eleições para a escolha do Dirigente Máximo. Nesse tempo, a Rede Federal de Educação nunca sofreu ataques tão duros a sua democracia como ocorre agora por parte do atual Governo", diz outro trecho da carta.

Veja aqui a carta completa

Em entrevista recente ao Cidadeverde.com, o novo reitor Gildásio Guedes afirmou que foi eleito democraticamente e que  na democracia deve valer o voto da maioria e não o "voto da fórmula". 

Se a votação fosse universal – sem levar em conta o percentual dos professores, estudantes e técnicos – o professor Gildásio seria o mais votado na consulta à comunidade universitária. 

O professor afirmou ainda que as críticas serão aceitas e declarou que não faz parte de nenhum segmento.  O novo reitor garante que é do P.U, o "Partido da Universidade". 

 


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir