Cidadeverde.com
Esporte

Eficácia de Diniz em mata-matas cai pela metade no São Paulo

Imprimir

Foto - Lucas Uebel - Grêmio

Após empatar por 0 a 0 com o Grêmio na noite desta quarta-feira (30), pela Copa do Brasil, o São Paulo e o técnico Fernando Diniz conheceram a terceira eliminação em competições mata-mata do ano.

O treinador chegou ao time tricolor com bom retrospecto neste modelo de competição, mas viu sua eficiência cair pela metade em 2020 na comparação com anos anteriores.

Dirigindo times da Série A do Brasileiro, Diniz disputou 16 fases mata-mata antes de chegar ao São Paulo: cinco com o Athletico-PR e 11 com o Fluminense, com 13 triunfos e três reveses, para um aproveitamento de 81%.

Já na equipe do Morumbi foram cinco fases: três de Copa do Brasil, uma na Sul-Americana e uma no Paulista. O time tricolor venceu duas, ambas na Copa do Brasil, e acabou eliminado três vezes, deixando Diniz com um aproveitamento de 40%.

Pelo Athletico-PR, Diniz terminou a passagem invicto nesse estilo do torneio: venceu quatro fases na Copa do Brasil e uma na Sul-Americana. Foi demitido do clube antes da eliminação na competição nacional e do título da copa continental, com o time já sob comando de Tiago Nunes.

Nas Laranjeiras, o técnico conheceu sua primeira eliminação em mata-mata dirigindo um clube da Série A. Depois de ganhar a semifinal da Taça Guanabara contra o Flamengo, perdeu o título para o Vasco. Na Taça Rio, parou nas semifinais diante dos rubro-negros.

Já pela Copa do Brasil, foi eliminado com o Flu nas oitavas de final pelo Cruzeiro depois de superar quatro adversários. Na Copa Sul-Americana, passou por Antofagasta (CHI), Nacional de Medellín (COL) e Peñarol (URU) antes de ser demitido. Ao todo, defendendo o Flu, foram oito classificações e três eliminações.
Além do Grêmio, o Lanús (ARG) e o Mirassol foram os outros carrascos do São Paulo na temporada, na Copa Sul-Americana e Paulista, respectivamente.

Agora, o São Paulo se volta somente à disputa do Brasileiro, competição que lidera com sete pontos de vantagem para os segundos colocados Atlético-MG e Flamengo - sendo que os cariocas têm um jogo a menos.

E mesmo em uma competição na qual todos jogam contra todos, o São Paulo pode ter uma espécie de "mata-mata" pela frente. Na última rodada, no Morumbi, o adversário será o Flamengo, que é um de seus concorrentes ao título. Caso o time tricolor não chegue a essa partida com pelo menos quatro pontos de vantagem, o título brasileiro será definido pelo confronto direto.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira (6), quando visita o Red Bull Bragantino pela 28ª rodada do Brasileiro.

Fonte: Folhapress

Imprimir