Cidadeverde.com
Esporte

Homenagem ao maior artilheiro Piauiense de todos os tempos

Imprimir
A maior referência do futebol piauiense ao longo de sua história é o consagrado artilheiro Sima. Nos anos de 62 e 63 começou nos juvenis do Piauí Esporte Clube. Logo passou para o time de aspirantes, sendo bicampeão da categoria em 65 e 66. Na temporada de 1967 foi defender a seleção de Barras no Torneio Intermunicipal Piauiense de Futebol e foi o artilheiro da competição com 12 gols. Despontava o temível artilheiro para o futebol do Nordeste. Em 1968 o notável Sanêga era negociado para o Ferroviário de Fortaleza e Sima assumiu o lugar do craque de Picos na ofensiva do Piauí.



Daí prá frente Sima marcou época no chamado Piauizão Vibrante, sendo artilheiro em todos os torneios e campeonatos. Era um verdadeiro festival de gols. Logo o craque piauiense foi fazer testes no Sporte Clube Recife. Demorou pouco e retornou a Teresina, mas logo estava contratado pelo Sporte Clube Bahia, onde escreveu seu nome na história do tricolor baiano, inclusive com gols decisivos.

Com a reativação da Sociedade Esportiva Tiradentes no início dos anos setenta, o Coronel Canuto Tupi Caldas mandou buscar Sima. A torcida Piauiense vibrou e Sima mostrou que realmente era um fenômeno na arte de marcar gols. Saiu balançando as redes por toda parte do Brasil : São Januário, Maracanã, Morumbi, Beira Rio. A marca do grande Sima está em quase todos os estádios das capitais brasileiras.Sima foi importantíssimo para os êxitos do Amarelão da PM no Campeonato Brasileiro,enfrentando os maiores clubes dos maiores centros esportivos do País.

O Tiradentes parou e Sima chegou ao Ríver Atlético Clube em clima de festa. A torcida tricolor vibrou em toda a Teresina com a chegada de Sima ao bairro dos Noivos, logo no ano do maior campeonato Piauiense da história, em 1977. O artilheiro estava em plena forma e foi o craque do Campeonato com um desempenho sensacional. Artilheiro absoluto e autor de dois gols na histórica final com o Flamengo. O Ríver venceu por 3 x 2 perante 40 mil pessoas no Albertão. Sima saiu do Estádio nos braços da torcida riverina.

No mesmo ano brilhou no Campeonato Brasileiro, com a camisa tricolor. Logo na abertura do Campeonato, marcou 4 gols contra o América de Natal no Albertão. O Ríver venceu por 5 x 1. A Rádio Globo do Rio de Janeiro transmitiu o jogo para todo o Brasil, com o narrador Antônio Porto.

Sima foi o maior artilheiro brassileiro da temporada de 1977, marcando 37 gols. O nosso craque não tinha TV mandando imagens para todo o Brasil, não tinha como empresários como atualmente. Na estrutura comercial de hoje no futebol, Sima teria chegado à Seleção Brasileira e teria feito sucesso no futebol mundial.

Durante anos a Revista Placar fez levantamento dos gols marcados pelos maiores artilheiros do futebol brasileiro. Sima permaneceu durante anos em novo lugar na classificação geral. À sua frente estavam apenas Pelé, Romário, Zico, Roberto Dinamite, Cláudio Adão, Friedenreich, Túlio e Dario. O trabalho estatístico foi realizado pelo jornalista Severino Filho, mostrando que o nosso craque marcou 515 gols. E o jornalista não contou gols de treinos e peladas, mas jogos prá valer.



Sima jogou nos seguintes clubes piauienses: Piauí, Tiradentes, Ríver, Flamengo(poucos dias) e no Auto Esporte. Somente no Flamengo não teve tempo para ser campeão e artilheiro. Ainda jogou em Pernambuco, Bahia,Maranhão, Sergipe e Amazonas.

Tive muítos momentos de enorme felicidade ao narrar dezenas de gols de Sima pelo futebol piauiense em competições nacionais. Nos arquivos, guardo com o maior carinho esses momentos de vibração, de afirmação do povo piauiense.

Nossas homenagens a Sima, honra e glória do futebol Piauiense. O artilheiro consagrado que tantas alegrias proporcionou ao sofrido e humilhado povo do Estado do Piauí. O nosso Estado tem uma dívida e grande com o cidadão, craque de futebol e um dos poucos ídolos que conquistaram com sua arte o carinho e o respeito do povo Piauiense.

Dídimo de Castro
didimodecastro@cidadeverde.com
Tags:
Imprimir