Cidadeverde.com
Geral

Redação do Enem tem tema: “o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”

Imprimir
  • ENEM_(15).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(14).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(13).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(12).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(11).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(10).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(9).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(8).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(7).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(6).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(5).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(4).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(3).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(2).jpg Lucas Oliveira
  • ENEM_(1).jpg Lucas Oliveira

Este ano, tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é “o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revelou o tema às 13h53 em publicação no Twitter, minutos após os candidatos iniciarem a prova neste domingo (17). 

Após o adiamento devido à pandemia de Covid-19, o primeiro dia das provas presenciais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 será neste domingo. No Piauí, 133.786 candidatos se inscreveram e estão aptos a fazer o exame. 

Os candidatos terão até às 19 horas para finalizar a primeira prova, que inclui a redação.

 

 

 


Foto: Lucas Oliveira/Cidadeverde.com

 

Para Marcus Antonio de Sousa, professor de Linguagens com ênfase em Redação de Língua Portuguesa, conta que trabalhou o tema “saúde mental’ com os seus alunos no dia 09 de setembro de 2020.

“Nós fizemos uma saga acerca da saúde brasileira: a Covid-19, a desigualdade social e a saúde do brasileiro, a saúde mental, os desafios de inclusão das pessoas portadores de HIV e AIDS”.

Ele conta que os candidatos poderão trabalhar o tema ressaltando o bem-estar social, a aceitação das exigências do viver, como saber lidar com as emoções, principalmente no período do isolamento social durante a pandemia da Covid-19.

O professor cita também que o tema pode abordar os limites de gerir a própria vida e de saber o momento de buscar por ajuda profissional, além de trabalhar a aceitação de uma possível doença psíquica em uma sociedade que ainda vivencia o preconceito sobre a terapia. 

“Ainda existe certo preconceito das pessoas em buscar por psicólogo, por exemplo; muitos ainda julgam que buscar por tratamento é ‘tratar a loucura’, sendo que hoje, na modernidade, terapia é essencial”.

O professor de Linguagens, Alex Keoma, também trabalhou o tema no Colégio Mérito D'Martonne. O professor ressalta que a escola realizou o projeto “Setembro Amarelo”, desenvolvido com a ajuda dos estudantes, que deverá contribuir na contextualização da redação. “Falamos sobre a saúde mental dos idosos, das famílias, dos jovens e a autoestima diante das redes sociais”. 

“O tema foi uma surpresa porque nós não sabemos o que de fato poderá ser cobrado, nós temos uma noção que a temática será uma atualidade. Como costumamos fazer todos os anos, nós trabalhamos com diversos temas em três frentes: na sala de aula, na monitoria e na oficina de redação. Nós trabalhamos o tema saúde mental, com norteadores distintos”, diz Alex.

 

Motivos para nota zero na Redação 

 

• fuga total ao tema;

• não obediência ao tipo dissertativo-argumentativo;

• extensão de até sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, ou extensão de até dez linhas escritas no sistema Braille;

• cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos oito linhas de produção própria do participante;

• impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação;

• números ou sinais gráficos sem função clara em qualquer parte do texto ou da folha de redação;

• parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

• assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

• texto predominante ou integralmente escrito em língua estrangeira;

• folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho; e

• texto ilegível, que impossibilite sua leitura por dois avaliadores independentes.

 

 

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir