Cidadeverde.com
Vida Saudável

Butantan aguarda matéria-prima para produzir mais 8,6 milhões de doses da Coronavac

Imprimir

Roberta Aline/CCOM

O Instituto Butantan vai receber nesta semana insumos para produzir mais 8,6 milhões de doses da Coronavac, vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o instituto paulista, em solo nacional.

A expectativa é que o lote chegue na próxima quarta-feira (3), no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

O governo de São Paulo divulgou as imagens da carga sendo encaminhada ao aeroporto de Pequim, na China, na madrugada deste domingo (31), onde aguarda liberação alfandegária.

Distribuídos em contêneires e levados em sete caminhões até o aeroporto, o lote contém 5,4 mil litros de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo), composto que será formulado e envasado no insitutito paulista.

As primeiras doses da vacina Coronavac que desembarcaram no país vieram prontas para uso. Elas se referiam às 6 milhões de doses aprovadas para uso emergencial pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), no dia 17 de janeiro.

Após a autorização destas doses iniciais, o Butantan solicitou uma nova autorização à agência, dessa vez referente a outras 4,8 milhões de doses que foram formuladas no instituto a partir das remessas de IFA chinesas. A autorização da agência veio cinco dias depois da solicitação.

Nas últimas semanas, preocupações sobre a liberação por autoridades chinesas da IFA necessária tanto para produzir a Coronavac quanto a vacina da Oxford/AstraZeneca levantaram suspeitas de uma crise diplomática com a China e a Índia, causadas pelo governo Bolsonaro.

A liberação dos insumos ocorreu após reunião do embaixador da China, Yang Wanming, se reunir com figuras do Palácio do Planalto, como o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e com o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também se reuniu com Wanming, na última terça-feira (26), e já havia anunciado a previsão de chegada dos insumos para a próxima quarta-feira (3).

O Butantan afirmou que levará de 15 a 20 dias para produzir as novas doses a partir dos insumos recebidos.

Agora, as novas remessas não precisam mais de autorização da agência, pois a última aprovação já contemplou esse tipo de formulação e envase no país.

Os contêneires vindos da China possuem 200 litros cada, o que permite a produção de 320 mil doses.

Até o momento, o Brasil possui cerca de 12,1 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 10,1 milhões da Coronavac e o restante da Oxford/AstraZeneca. Já foram vacinadas 2.002.455 pessoas no país, segundo dados do consórcio de imprensa.

No estado de São Paulo, o governo vacinou, até às 11h55 deste domingo (31), 388.696 pessoas.

 

Folhapress

Imprimir