Cidadeverde.com
Viver Bem

Mochila pesada exige cuidado para não prejudicar a saúde

Imprimir

Foto: arquivo Cidadeverde.com


Após um ano complicado para a educação, as aulas presenciais retornaram com algumas restrições, ainda por causa da pandemia. Além dos cuidados necessários por conta do coronavírus, os pais precisam ficar atentos com um problema muito conhecido: o excesso de peso nas mochilas escolares.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que aproximadamente 85% da população mundial futuramente sofrerão com dores nas costas exatamente por conta desta situação.

Orientação

O ideal é caminhar com a postura ereta. Entretanto, com o excesso de peso na mochila, as crianças costumam se curvar, provocando lesões na coluna. Além disso, os ombros também são prejudicados. A mochila com rodinhas também não é a melhor solução. Quando mal regulado, o puxador pode causar sobrecarga nos joelhos.

Mas então qual a solução? O primeiro ponto é evitar o excesso de material. Além disso, a mochila precisa ser adequada. A criança pode carregar nas costas até 10% do seu peso. As alças precisam ser reguladas para que a sacola fique posicionada no centro das costas.

Já acima destes 10%, a mochila de rodinhas é a solução. Entretanto, compre um modelo que evite esticar os braços completamente para puxar a mala, evitando a torção do tronco. Em caso de incômodo, o ideal é consultar um médico para uma avaliação. 

 


Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir