Cidadeverde.com
Geral

Filha relata sofrimento de três dias em busca de vaga para o pai

Imprimir

O desespero de uma filha em busca de uma vaga para tentar salvar a vida de um ente querido. Em entrevista ao Cidadeverde.com, Elenice Vasconcelos conta que o pai Francisco das Chagas Vasconcelos, 68 anos, tem plano de saúde, mas não adiantou. O idoso só conseguiu uma vaga para ser internado nesta quarta-feira (24), três dias após a perigrinação da filha em hospitais privados de Teresina para conseguir atendimento, o que só foi possível na rede pública. 

"Se tivesse deixado meu pai em casa mais tempo, ele tava morto. Desde a semana passada, ele sente febre, dor de garganta. Por ele ser cardíaco, resolvemos não esperar mais porque ele piorou a saturação. Andamos em três hospitais privados e nem abrem a porta porque não tem vaga. Em um deles, a recepcionista ainda tentou ajudar, mas despacharam. Desde segunda (22) estamos atrás de uma vaga e só conseguimos ontem, mesmo ele com plano de saúde", conta a filha. 

Seu Francisco foi internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Renascença, na região do Grande Dirceu. Elenice Vasconcelos conta que continua apreensiva e tem fortalecido a fé para que o pai não piore. 

"Ontem a saturação caiu pra 85 (normal é acima de 90)  começou dar falta de ar e muito cansaço. Hoje já melhorou e está em 91. Como filha tentei fazer de tudo para dar um melhor tratamento a meu pai e continuo na esperança de conseguir transferi-lo para um hospital privado que tenha mais estrutura e UTI, caso ele precise. Agora é confiar em Deus", disse  a filha. 

Mesmo com sintomas característicos da doença, o exame de Seu Francisco que vai diagnosticar se ele foi infectado pela Covid-19 ainda não saiu. "É ter muita fé em Deus. A situação é de impotência", reitera Elenice Vasconcelos. 


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir