Cidadeverde.com
Política

Governadores e Congresso vão à ONU pedir ajuda para comprar mais vacinas

Imprimir


Governadores de todo o País pediram nesta sexta-feira (26) que o Senado Federal articule agendas com a ONU (Organização Mundial de Saúde) e setores internacionais para ajudar o Brasil na aquisição de mais vacinas contra a Covid-19.

O governador Wellington Dias (PT), que preside o Consórcio Nordeste e é coordenador do Fórum dos Governadores para a temática da vacina, participou da reunião. Participou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG). 

No encontro Wellington Dias e os governadores Flávio Dino (Maranhão), Renan Filho (Alagoas), e outros gestores condenaram a postura do presidente Jair Bolsonaro de criar o Comitê Nacional Anti-Covid da Pandemia, sem a presença de representante dos Estados e Municípios. 

Ficou acertado que até segunda-feira as tratativas para agenda com Secretário da ONU, António Guterres. 

“Fórum dos Governadores insiste na necessidade da presença da representação dos estados e municípios no Comitê. Não tem lógica, considerando que o Brasil é uma República Federativa e vivemos uma pandemia nacional, com enfrentamento ao coronavírus e efeitos da pandemia em cada estado e município. Assim, estamos enviando os documentos solicitando a inclusão de representantes dos estados na coordenação nacional”, frisou Wellington Dias.

A proposta dos governadores é pedir ajuda aos mais diversos setores internacionais no Reino Unido, na Índia, China e Rússia para comprar mais imunizantes. Há informações de que os Estados Unidos tem estoque de vacinas e poderia ceder ao Brasil.

Na reunião, governadores condenam corte de R$ 43 bilhões para a pandemia e pediram que o valor fosse reposto. 

Os gestores solicitaram ao presidente do Senado que o auxílio emergencial seja retroativo a janeiro, fevereiro e março, devido os prejuízos dos trabalhadores.

“Tratamos sobre temas importantes como a pauta do Congresso Nacional, orçamento, mais recursos para a saúde, as condições do financiamento da rede hospitalar, de dar conta dos insumos e o tema principal que é vacinas, no qual propusemos uma agenda conjunta com o secretário da Organização Nacional das Nações Unidas para que possamos ter a entrega de vacinas, a sensibilidade do mundo para ajudar o Brasil com mais vacinas e ainda as condições de ter a pauta federativa sendo colocada na prioridade do Congresso Nacional: o social, o econômico, tudo aquilo que é importante nessa fase no Brasil”, relatou o governador.

 

Flash Yala Sena
[email protected]

Imprimir