Cidadeverde.com
Esporte

Fluminense se acerta com Babi e Serra Macaense, mas Botafogo emperra negócio

Imprimir

O Fluminense já tem tudo acertado com Matheus Babi e o Serra Macaense, detentor dos seus direitos econômicos, para que o atacante de 23 anos seja o novo reforço do clube para 2021. Mas o Botafogo, que não parecia ser um obstáculo, mudou de ideia e o negócio emperrou.

Na reunião desta sexta (2), o Tricolor teve uma resposta positiva do clube da Região dos Lagos e do jogador sobre a proposta feita. Babi deseja jogar no Flu para disputar a Libertadores e permanecer no Rio de Janeiro, e o Serra aceitou a proposta de 1 milhão de euros (R$ 6,7 milhões na cotação de hoje) por 25% dos seus direitos econômicos.

Com tudo certo, o Fluminense buscou um acordo com o Bota para pagar a taxa de vitrine, algo que caberia ao Serra Macaense mas na negociação feita, passou a ser incumbência do clube das Laranjeiras. Antes disposto a receber jogadores e abater uma quantia em dinheiro, o Glorioso voltou atrás.

O Flu, então, fez uma oferta financeira levando também os 10% dos direitos econômicos que pertencem ao Botafogo, o que, ao total, daria 35% do "passe" de Babi ao Tricolor.

Fora desses moldes, a princípio, não há interesse do Fluminense em realizar o pagamento pela taxa referente ao Glorioso, o que ainda mantém o Athletico no negócio.

A proposta ainda não foi respondida, mas a postura do Alvinegro incomodou os representantes do atleta, que já tinham um acordo prévio. Ainda que não seja oficial, a mudança tem motivo: a repercussão negativa dos nomes oferecidos e aprovados pela comissão técnica e o departamento de futebol do Bota.

CAIO BLOIS
RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) 

Imprimir