Cidadeverde.com
Entretenimento

Irmã de Paulo Gustavo faz oração pedindo 'força e esperança'

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/@paulogustavo31

A irmã de Paulo Gustavo, Ju Amaral, compartilhou, nesta quinta-feira, 8, uma oração especial para o ator, que segue internado na UTI com covid-19, Nas redes sociais, Ju pediu "força e esperança aos doentes". Ela postou uma foto segurando um terço, perto de uma cachoeira, e pediu: "Senhor Jesus Cristo, sempre fostes ao encontro dos enfermos com uma palavra de esperança e um gesto de amor. Ao nascer da Virgem Maria, assumistes nossa condição humana e experimentastes a nossa dor"

"Senhor, nossos doentes necessitam ser curados no corpo e no espírito. Pela fé, sabemos que nenhuma doença é maior do que a vida. Por isso, peço que todos os doentes, sustentados pelo vosso amor, não deixem que a dor lhes roube o significado da vida", continuou a irmã do humorista.

"Confortai-os com vosso poder, renovai-lhes o ânimo e a esperança, para que possam superar todos seus males. Abençoai também as pessoas que têm a missão de cuidar dos doentes; que tenham paciência, caridade e compaixão. Vós, que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo. Amém! Te amo, irmão", declarou ela.

Paulo Gustavo está internado no Rio de Janeiro desde o dia 13 março, e, atualmente, é tratado com o ECMO (circulação extracorpórea em membrana), conhecido como "pulmão artificial". Na quarta-feira, 7, seu marido, Thales Bretas, revelou que ele precisou de transfusão de sangue e pediu doações para os bancos de sangue.

"Nosso amado Paulo Gustavo segue melhorando aos pouquinhos (...) Sabemos que, por causa da ECMO, ele tem que ficar anticoagulado, perde um pouco de sangue e, por isso, precisou tomar algumas bolsas. Assim como ele, milhares de pessoas estão precisando de sangue nos hospitais, e a pandemia tem dificultado as doações. Mas os bancos de sangue estão tomando as medidas de cuidado necessárias! E o Brasil e o mundo estão precisando muito de doações, e não podem esperar", disse o dermatologista na ocasião. 


Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir