Cidadeverde.com
Esporte

Reservas do Santos sofrem para empatar diante do Botafogo na Vila Belmiro

Imprimir

Com a concentração toda no segundo jogo com o San Lorenzo, terça-feira, em Brasília, pela Copa do Brasil, o técnico Ariel Holan utilizou uma equipe reserva, neste sábado à noite, diante do Botafogo, na Vila Belmiro, no retorno da disputa do Campeonato Paulista, e só conseguiu um empate sem gols.

Foto - Ivan Storti - Santos

Com o resultado, o Santos fica com seis pontos, em segundo lugar no Grupo D, dois pontos atrás do Mirassol. Já o Botafogo conseguiu conquistar o segundo ponto na competição, mas permanece em último lugar no Grupo A, que tem o Corinthians na liderança com 11 pontos.

O jovem time do Santos procurou ser ofensivo desde o início e acabou desguarnecendo a defesa. Ao mesmo tempo que o time santista ficava mais tempo com a bola e no campo adversário, as melhores oportunidades da primeira etapa acabaram sendo dos visitantes.

O Santos só conseguiu produzir alguma coisa no começo do jogo, quando teve um gol corretamente anulado pelo árbitro Adriano de Assis Miranda, após consultar o VAR. O zagueiro Luiz Felipe estava impedido no lance em que desviou de cabeça uma bola que veio da esquerda após cobrança de falta.

Foram três as grandes chances do Botafogo, que apostou em uma marcação forte na saída de bola do Santos e saída rápida para o ataque, como gosta Argel Fuchs, estreante no comando da equipe de Ribeirão Preto. O primeiro lance perigoso foi aos 18 minutos, com Richard, que, lançado, surgiu diante do goleiro John Victor, mas bateu por cima.

Aos 28, em nova jogada rápida em contra-ataque, Richard, mais uma vez, acertou um belo chute de fora da área, mas John Victor fez grande defesa e a bola ainda explodiu no travessão. Aos 31, Dudu fez grande jogada pela esquerda e tocou para Richard, que bateu de virada, mas Alex salvou.

No segundo tempo, o técnico Ariel Holan tirou Sandro, que havia sofrido muito na marcação de Dudu, e colocou Vinícius Baliero. Mas o Santos continuou com dificuldades de invadir a área botafoguense, arriscando sem sucesso chutes de longe. Um exemplo foi Lucas Lourenço, aos sete minutos.

Já o Botafogo, por uma questão física, não conseguiu repetir na segunda etapa a mesma rapidez nas jogadas pelas laterais do campo. Ao perceber isso, Holan trocou o ataque e colocou em ação Lucas Venuto e Kaio Jorge. Os dois chegaram a criar boas chances aos 27 e aos 34 minutos.

O Santos só volta a jogar pelo Paulista na sexta-feira, em Campinas, contra a Ponte Preta, enquanto o Botafogo visita o Ituano, na quarta.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir