Cidadeverde.com
Esporte

Santos perde para o Barcelona na estreia da fase de grupos da Libertadores

Imprimir

Finalista do ano passado, o Santos chegou à estreia da fase de grupos da Copa Libertadores com otimismo após passar pelo San Lorenzo, nas eliminatórias e mostrar bom futebol.

Mas isso não se repetiu nesta terça-feira (20), na Vila Belmiro. Frágil no ataque, a equipe brasileira foi derrotada pelo Barcelona (EQU) por 2 a 0.

Qualquer derrota em casa é ruim, mas o cenário pode se tornar pior ainda pelas perspectivas do Santos no Grupo C.

Das três partidas como visitante, uma será em La Bombonera, contra o Boca Juniors (ARG), um dos times mais tradicionais do continente, e outras duas na altitude. Vai enfrentar o Barcelona, em Quito (2.850 metros) e The Strongest (BOL), em La Paz (3.640 metros).

Por isso era fundamental para os brasileiros estrearem com uma vitória em casa, ainda que a chuva intensa que caiu na Baixada durante boa parte do primeiro tempo tenha deixado o gramado da Vila alagado, especialmente no primeiro tempo.

Para completar os problemas, o time brasileiro perdeu Marinho, seu principal atacante, por contusão, a oito minutos para o fim.

O Barcelona foi uma equipe mais consciente por todo o confronto. Soube jogar com o estado do gramado e no meia Fidel Martínez, teve um jogador que não deu paz aos santistas por um minuto.

Na etapa inicial, o goleiro João Paulo se atrapalhou com uma poça d'água, saiu mal do gol, mas Damián Díaz finalizou fraco e viu o brasileiro se recuperar. Martínez e Pineida também tiveram boas chances, enquanto o Santos mostrava dificuldades em criar oportunidades.

Em uma situação assim, qualquer falha defensiva pode ser fatal. Foi que aconteceu.

Logo no início do segundo tempo, aos 7 minutos, a pressão dos visitantes se converteu no primeiro gol do jogo, quando Garcés recebeu dentro da área e finalizou rasteiro.

Com os donos da casa ainda desorganizados em campo, Martínez acertou a trave em seguida e não parou de ameaçar, ao contrário do que fazia o seu adversário. O Santos sequer obrigou o goleiro Burrai trabalhar.

O castigo chegou aos 23, quando Pará, que já havia falhado na marcação no primeiro gol, desviou contra a própria rede para anotar o segundo do Barcelona.

Esperava-se que o Santos partisse para o abafa para tentar uma reação. Mas nem isso aconteceu.

Fonte: Folhapress

Imprimir