Cidadeverde.com
Últimas

Em 4 meses, Piauí já registra 69% do total de óbitos por Covid do ano passado

Imprimir

Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress

Os quatro primeiros meses de 2021 já contabilizam quase 70% do número total de mortes por Covid-19 registrado no ano passado no Piauí. O estado fechou o ano de 2020 com 2.840 mortes. De janeiro a abril deste ano, 2.048 pessoas já perderam a luta para a doença. O mês mais letal, até agora registrado, foi março com 790 mortes. Abril está com 746 óbitos.  Pelo avançar da pandemia, o Piauí em maio pode igualar ao número total de mortes do ano passado. 


O professor doutor Emídio Matos, da Universidade Federal do Piauí (UFPI), explica que os dados de 2021 apontam o avanço, com maior gravidade, da pandemia em todo o Brasil, com colapso na rede hospitalar de atenção à Covid 19 no país inteiro. Emídio é pesquisador do Grupo de Trabalho Sala de Situação da UFPI e Fiocruz Piauí. 

“No Piauí, em menos de 4 meses do ano de 2021, já estamos com 69% do total de óbitos do ano passado e, mantido o ritmo atual e com o avanço lento da imunização da população e a rede de saúde de alta complexidade colapsada, devemos igualar os números de 2020 já no final do mês de maio”, diz o professor, que também participa do Núcleo de Estudos em Saúde Pública da UFPI. 

 


Leitos Covid

O professor ressalta que “o aumento de casos novos é sempre acompanhado de uma elevação no número de óbitos, uma vez que uma parcela das pessoas infectadas vai evoluir para casos graves da doença, necessitando de cuidados nos serviços de alta complexidade em saúde”. A fila de pacientes à espera de um leito de UTI Covid voltou a crescer no Piauí. 

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o estado confirmou 233.228 casos da doença. Desses, 90.049 somente em 2021.

“Como nova variante de preocupação, passamos a conviver com uma fila de espera da regulação de leitos Covid-19, que atingiu um pico em 28 de março (164 na fila de UTI e 74 na fila de leitos clínicos), apesar do aumento de 36% no número de leitos de UTI SUS disponíveis no ano de 2021 (de 198 para 308, em 21 de abril)”, destaca. 

Foto: professor doutor Emídio Matos/Arquivo Pessoal 



Estabilização 

Emídio Matos ao considerar a Matriz de Risco Epidemiológico do Piauí conta que “a propagação da doença e a capacidade de atendimento da rede hospitalar, vem demonstrando uma queda na propagação da doença, embora ainda com uma alta taxa de ocupação de leitos Covid 19, indicando que podemos iniciar um período de estabilização da pandemia no estado, embora com valores muito altos”.

A expectativa de estabilização da pandemia nos próximos meses pode ser frustrada caso ocorra a redução das medidas restritivas, o uso inadequado de máscaras (ou o não uso!) pela população, as reuniões familiares e entre amigos, com redução do distanciamento físico. Essas situações podem contribuir para o agravamento da Covid-19 no estado nos próximos meses, além do surgimento de novas variantes do vírus. 


Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir