Cidadeverde.com
Política

Merlong apresenta emenda para que o Piauí não seja prejudicado com a venda da Eletrobras

Imprimir

Foto: Roberta Aline

A Câmara dos Deputados deve votar nesta quarta-feira (19) a Medida Provisória 1031/21, que cria as condições para a privatização da Eletrobras, estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia que responde por 30% da energia gerada no País.

Embora contrário à privatização, o deputado Merlong Solano apresentou emenda à Medida Provisória para garantir que a Eletrobras pague os valores devidos a título de indenização pela venda das concessionárias incluídas no Programa Nacional de Desestatização, como foi o caso da antiga Companhia Energética do Piauí (Cepisa).

De acordo com o parlamentar, o Piauí ainda espera receber pelo menos R$ 140 milhões dessa operação. “A Eletrobras precisa responder pelos passivos decorrentes da privatização da Cepisa. A emenda propõe a atualização desse valor, conforme estipula o contrato. Ainda que privatizada, a Eletrobras deve honrar esse compromisso para que o povo do Piauí não seja prejudicado”, explica.

Privatização e a conta de luz

O deputado Merlong votará contra a privatização, por considerar que se trata de uma empresa estratégica. “A Eletrobras é eficiente e lucrativa. Não há razão técnica nem financeira que justifique sua privatização. Além disso, teremos pressão permanente pelo aumento da conta de luz, para que a empresa chegue à taxa de lucro almejada pelo grande capital”, alerta.

Da Redação
[email protected]

Imprimir