Cidadeverde.com
Entretenimento

'Lamento ter ofendido', Pedro Bial se desculpa após citação a travesti

Imprimir

Foto: Reprodução/Globo
Jornalista Pedro Bial

O jornalista e apresentador Pedro Bial, 63, usou as redes sociais, nesta terça-feira (25), para se desculpar por fazer referência de "forma descuidada" às travestis em entrevista com o ex-jogador de futebol Ronaldo, 40, que foi ao ar na última quinta-feira (20), no programa Conversa com Bial (Globo).

"Olá, minha gente. Dá licença... Não é nem pela reação na Internet que venho aqui hoje me penitenciar pelo mau uso, pelo uso infeliz de um artigo, da forma descuidada que eu me referi às travestis. É pela minha consciência", disse Bial, em vídeo publicado em uma rede social.

"Consciência de alguém que eu não preciso fazer um levantamento histórico, mas de alguém que tem uma história de contribuição para a causa trans. Lamento demais ter ofendido quem quer que seja, isso jamais foi minha intenção", continuou o jornalista.

"Alguns poderiam até achar desproporcional a reação, a violência das manifestações na Internet, mas acho que violento não. Violenta é a vida dura, terrível das pessoas trans maltratadas. É uma tragédia que o Brasil tem que enfrentar", refletiu.

"Então estou aqui para dizer, em primeiro lugar, que contem comigo, sempre, para o bem, para a construção, para a mudança desse estado de coisas. Um grande beijo para todos e todas!", finalizou o pedido de desculpas.

Durante a entrevista com Ronaldo, Bial relembrou um episódio de quando o atleta teria se envolvido com algumas travestis, no ano de 2008. No entanto, ele se referiu a elas no pronome masculino. "Tantos anos depois, você quer explicar o que aconteceu na história com os três travestis?", perguntou ao ex-jogador.

A fala repercutiu na Internet e levantou a pauta da transfobia. A cantora Linn da Quebrada, 30, criticou a atitude do jornalista na ocasião. "É um absurdo. Mesmo depois de ter entrevistado a mim e ter acesso a tanta informação, ainda assim, o Bial se permitir erros tão irresponsáveis e cruéis com nossos corpos", começou.

"Uma transfobia que corrobora com todo processo de marginalização ligado às nossas identidades. Inadmissível", completou a artista, que fez o desabafo em seu Twitter.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir