Cidadeverde.com
Geral

Governadores vão pedir agilidade na liberação da vacina Butanvac pela Anvisa

Imprimir

Foto: Roberta Aline

O governador Wellington Dias (PT) vai pedir à Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) agilidade nos testes da Butanvac, imunizante produzido integralmente no Brasil pelo Instituto Butantan. O pedido será em nome do Fórum dos Governadores do Brasil.

Segundo o governo do estado, a vacina confere autonomia ao país para avançar na imunização da população. O instituto anunciou que já possui 7 milhões de doses prontas da vacina e pode chegar até 40 milhões de doses até setembro. A distribuição e uso, dependem da liberação da Anvisa.

“O prazo para os testes é de aproximadamente 90 dias. Portanto, chance real de em setembro, com empenho da Anvisa, ter a liberação da vacina Butanvac para o povo brasileiro e outros países” declarou o governador

Ainda no mês de junho, segundo o governo do estado, o Butantan poderá ofertar 12 milhões de doses da Coronavac para a vacinação no Brasil, a partir da chegada de Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFA’s) aguardados da China.

Wellington Dias destacou também o acordo firmado entre Fiocruz e a Universidade de Oxford, produtora da vacina Astrazeneca, que permite a transferência tecnológica para produção do IFA no Brasil. Segundo o governador do Piauí, o laboratório tem capacidade para produzir até 30 milhões de doses de vacina por mês, quantitativo que pode ajudar significativamente o Brasil a alcançar a imunização em massa da população.

“Permite as condições de autonomia para nossa Fiocruz, nossos cientistas, com a fórmula da Astrazeneca, produzir vacinas. Isso ajudará na imunização dos brasileiros e, muito breve, pode crer, o Brasil poder ajudar outros países” considerou Dias.

Covaxin e Sputnik V

Na sexta-feira, a diretoria Colegiada da Anvisa irá realizar uma reunião pública extraordinária. Os diretores irão analisar os pedidos de autorização excepcional e temporária para importação e distribuição das vacinas Covaxin e Sputnik V.

Hérlon Moraes (Com informações da Ccom)
[email protected]

Imprimir